Moradia Tia Ciata é intuito de ladrões pela segunda vez em uma semana

Casa Tia Ciata é alvo de ladrões pela segunda vez em uma semana

A Moradia Tia Ciata, na Rua Camerino 5, no núcleo do Rio de Janeiro, na região conhecida uma vez que Pequena África, foi intuito de ladrões duas vezes em uma semana. Criminosos invadiram o lugar e roubaram numerário, eletrodomésticos uma vez que micro-ondas e cooktop, cabos, refletores de LED, retroprojetor e até uma porta de alumínio.

“Ninguém merece ser assaltado, invadido. A gente quer mais tranquilidade no nosso ir e vir no território chamado Pequena África, que é espargido pelo Cais do Valongo, patrimônio da humanidade”, disse Gracy Mary Moreira, presidente da Moradia Tia Ciata.

No Instagram, há cinco dias, a Moradia Tia Ciata se pronunciou sobre o primeiro assalto. “A nossa região da Pequena África tem sofrido com violências variadas, que vão de furtos e assaltos a invasões. Precisamos que o poder público olhe para esse território de potência com o desvelo necessário, trabalhando sempre em conjunto para pensar ações que interrompam o ciclo de violências na cidade na sua raiz”, diz a postagem.

O espaço cultural abriga a memória de Hilária Batista de Almeida, conhecida uma vez que Tia Ciata. A atuação de Tia Ciata é considerada principalmente importante na formação do samba em terras cariocas. Entre tantas pessoas, ela recebia em sua mansão, que era também o seu terreiro, a chamada santíssima trindade do samba, composta por Donga, Pixinguinha e João da Baiana. Foi onde se juntou o estilo da musicalidade do Rio com o samba de roda da Bahia.

Nascente: Dependência Brasil