Ações culturais são antídoto contra intolerância à diversidade étnico-racial

Ações culturais são antídoto contra intolerância à diversidade étnico-racial

Uma extensa programação com ações culturais para dar visibilidade aos afrodescendentes, ciganos e indígenas e combater o racismo e a intolerância religiosa foi cumprida, em 2023, pela Assessoria de Direitos Humanos – Promoção da Igualdade Étnico-Racial da Prefeitura (Apir).

“Temos por missão mostrar para a sociedade toda a beleza da diversidade étnica proporcionada por negros, pardos, indígenas e ciganos, mas que não está apenas na cor da pele. Está na música, na gastronomia, na dança e nas festas religiosas, que de alguma forma fazem parte da vida de todos nós. É isso que queremos comunicar”, frisa a assessora da Apir, Marli Teixeira Leite.

Histórias de vidas negras

Começou a circular a segunda edição do livro Narrativas Afro-Curitibanas, que traz textos de 20 autores e autoras, todos negros, moradores de Curitiba. Cada narrativa relata as histórias e lutas que cada um enfrentou em sua trajetória. 

Lançado no Solar da Cultura, no Largo da Ordem, o projeto foi organizado e coordenado pela Assessoria de Direitos Humanos – Promoção da Igualdade Étnico-Racial.

Conselho renovado

Em setembro, tomaram posse os novos 44 integrantes do Conselho Municipal de Política Étnico-racial de Curitiba (Comper) para o período 2023-2025. Até 2024, ele será presidido pelo representante do segmento cultural da sociedade civil Allan Coimbra da Luz. A partir de então, em sistema de revezamento, ficará à frente do cargo a representante governamental Maria Tereza Rosa, da Apir.

Além dos dez representantes das organizações sociais, têm assento como titulares do órgão dois conselheiros indicados pela Câmara Municipal e dez pela Prefeitura.

Caboclo

O Dia do Caboclo foi lembrado em Curitiba em julho, em frente às gameleiras da Praça Tiradentes – árvores sagradas para as religiões de matriz africana e que remetem à beleza também das celebrações religiosas indígenas.

A atividade foi uma promoção do Fórum Paranaense das Religiões de Matrizes Africanas, com apoio da Prefeitura, Bloco Afro Pretinhosidade, Setorial de Cultura Tradicional de Matriz Africana, Ile Axé Opo Oya Onira, Federação Umbandista do Estado do Paraná, Terreiro Jurema Mestre Zé Mulambo, AAlaafia Educação e Religiosidade, Terreiro de Umbanda Estrela Guia, Grupo Swbathekye Kariri Xocó, Samba de Biloca e Cacique Wbyrawa.

Em agosto, na aldeia urbana Kakané-Porã, na Regional Tatuquara, houve uma tarde especial de brincadeiras legadas pelos indígenas. Arco-e-flecha e perna-de-pau estiveram entre as atrações, que se misturaram às demais atividades de lazer infantil ofertadas pela Smelj (Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude) nos fins de semana para a garotada.

Mulheres

O Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-americana e Caribenha e também dedicado à líder quilombola Tereza de Benguela foi lembrado em julho, durante o evento realizado no Memorial de Curitiba. Prefeitura e Conselho Municipal de Política Étnico-Racial de Curitiba (Comper) promoveram a atividade, que contou com atividades culturais e a Feira de Empreendedores Étnicos.

A volta da Caravana

Lançada em 2002 para dar visibilidade às populações negra (preta e parda), indígena e cigana, a Caravana Étnico-cultural chegou ao segundo ano e levou ações culturais e afirmativas a mais três regionais: Boa Vista, Boqueirão e Matriz. Em seu primeiro ano, a ação passou pela CIC, Cajuru, Bairro Novo, Santa Felicidade e Tatuquara.

A caravana é um projeto idealizado e executado pela Apir como parte do Eixo Responsabilidade do Plano de Governo Viva Curitiba Transparente. Para isso, vale-se da realização de ações afirmativas e oferta de produtos e serviços relacionados a origem, cultura, saberes e fazeres de cada etnia.

Fortalecendo conexões

Os moradores da aldeia indígena urbana Kakané Porã receberam, em agosto, a Linha do Lazer. Equipe da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude (Smelj) levou até o local jogos e brincadeiras da tradição indígena, que foram adaptados às condições do ambiente e mescladas com as atividades de rotina da ação.

A programação foi dedicada aos antigos curumins, que são os adultos de hoje. Corrida da tora, cabo-de-guerra, arco e flecha, peteca, pintura de rosto com motivos indígenas e “tobdaé” (semelhante ao jogo de caçador ou queimada e jogado com duas petecas) estiveram entre as brincadeiras do dia.

A atividade foi uma ação proposta pela 5ª Conferência Municipal da Promoção da Igualdade Racial (Compir), realizada em 2022, e aconteceu próximo ao Dia dos Povos Indígenas (9/8) e o Dia da Infância (24/8).

Mês da Consciência Negra

Uma programação grátis, repleta de atividades culturais carregadas de emoção e beleza, foi elaborada pela Assessoria de Promoção da Igualdade Étnico-racial da Prefeitura para celebrar o Mês da Consciência Negra. As atrações começaram no dia 15 de novembro, no Memorial de Curitiba, e terminaram em 20 de novembro – o Dia da Consciência Negra. Crianças e adultos participaram das atividades culturais e inter-religiosas.

Tarde Cigana

A música e a dança típicas dos povos ciganos tomaram conta da Praça da Espanha, no Bigorrilho, em junho. O evento marcou o Dia Nacional do Cigano e da sua padroeira, Santa Sara Kali, celebrado no fim de maio.

Entre as atrações estiveram o espetáculo de dança Palavra de Cigana, com a dançarina Mônica Luz; show com o grupo Jazz Cigano Quinteto; e uma performance de dança e cultura ciganas com alunos da Ceconello Escola de Dança.

Fonte: Prefeitura de Curitiba