Alunos da Escola de Segurança Alimentar Dom Bosco estão no mercado de trabalho

Alunos da Escola de Segurança Alimentar Dom Bosco estão no mercado de trabalho

 

Ensinar um novo ofício na área de gastronomia e segurança alimentar ou ajudar os interessados em aperfeiçoar conhecimentos. Essa é a proposta das Escolas de Segurança Alimentar da Prefeitura, que têm proporcionado formações todo mês para pessoas nas duas unidades: Dom Bosco, no Campo de Santana, e Patricia Casillo, no complexo de Segurança Alimentar do Viaduto do Capanema.

Alunos formados na Escola Dom Bosco já estão colocando em prática o que aprenderam.

Maria Teresinha Rodrigues Schon Nardino, 42 anos, participou de três cursos na unidade, mas um deles, o de confeitaria para restaurantes, trouxe uma lembrança afetiva: a mãe de Maria Teresinha também fazia bolos. “Desde que perdi minha mãe pensei que nunca mais conseguiria voltar a fazer bolos, quem diria um dia viver de vendê-los. O que eu aprendi no curso foi muito importante para eu me profissionalizar e hoje reuni coragem para seguir adiante como confeiteira”, contou.

Desde maio até setembro, as duas escolas formaram 72 alunos em cursos de Confeitaria para Restaurantes, Preparo de Salgados, Boas Práticas para Serviços de Alimentação, Aproveitamento Integral dos Alimentos e Preparo de Alimentos Congelados.

“Foi uma ótima oportunidade para aprender coisas novas”

Outra aluna que tem aproveitado a oportunidade é Dayane Avelino do Prado, 35 anos. Desde que aprendeu a fazer salgados ela já nutria o desejo de vendê-los para ajudar no sustento da família. “Foi uma ótima oportunidade para aprender coisas novas e saber como deve ser o padrão do salgado para poder vender”, afirmou.

“Eu estou planejando abrir um café colonial”

Já a dona de casa Maria da Conceição Lima dos Santos, 66 anos, gostou de participar dos cursos e já faz planos para envolver a família em um negócio de gastronomia.

“Eu estou planejando abrir um café colonial com os meus netos, Heloíse e Gustavo. Já estou passando umas receitas para ela, que tem muito jeito na cozinha. O menino trabalha muito bem com massas. Acho que vai dar certo”, prevê Maria.

As capacitações são uma parceria entre a Prefeitura e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). Os cursos estão previstos até novembro (lista abaixo), com formações profissionalizantes nas áreas de segurança alimentar e gastronomia.

O secretário de Segurança Alimentar e Nutricional, Luiz Gusi, lembrou que as Escolas de Segurança Alimentar atendem a demanda de profissionalizar pessoas e geram oportunidades para quem procura trabalho e geração de renda. “As escolas são uma união do poder público, ONGs, setor privado e empresas parceiras que investem na comunidade. A população será a maior beneficiada com esses cursos de capacitação”, salientou o secretário.

Escolas de Segurança Alimentar

Inauguradas neste ano, as Escolas de Segurança Alimentar Dom Bosco e Patrícia Casillo estão conectadas ao programa Mesa Solidária, que oferece refeições gratuitas diariamente, inclusive nos fins de semana e feriados, para a população em situação de rua, risco social e insegurança alimentar e nutricional.

Próximos cursos

Outubro: Boas Práticas para Serviços de Alimentação

Novembro: Empreendedorismo e negócios de oportunidades

*Os horários serão divulgados no início de cada mês no portal do Senac

Mais informações: (41) 3350-3853

Fonte: Prefeitura de Curitiba