Após obra de reforço estrutural, Greca libera viaduto do Alto Boqueirão para a passagem de veículos em Curitiba

Após obra de reforço estrutural, Greca libera viaduto do Alto Boqueirão para a passagem de veículos em Curitiba

O prefeito Rafael Greca vistoriou no fim da tarde desta quinta-feira (7/12) o fim da obra de reforço estrutural do viaduto do Alto Boqueirão, que liga as ruas João Miqueletto e Eduardo Pinto da Rocha sobre a linha férrea. Ele liberou a estrutura para a passagem do tráfego urbano. O viaduto havia sido interditado em março de 2022 após apresentar anomalias estruturais e risco de colapso na estrutura.

“Está aberto o viaduto com a garantia dos melhores engenheiros de Curitiba. Depois de um exaustivo trabalho de engenharia, o Boqueirão pode, de novo, se unir ao Bairro Novo”, disse Greca.

As obras foram coordenadas pela Secretaria Municipal de Obras Públicas (Smop).

Acompanhado do secretário municipal de Obras Públicas, Rodrigo Araujo Rodrigues, dos administradores regionais Fernando Werneck (Bairro Novo) e Ricardo Dias (Boqueirão), o prefeito avaliou o fim dos trabalhos executados para aumentar a vida útil do local e permitir a passagem de carros, ônibus e caminhões até 24 toneladas (tráfego urbano), com limitação de velocidade de 40 km/h.

Moradores e comerciantes foram ao encontro do prefeito para agradecer os resultados alcançados pela obra. O comerciante Marco Antônio Ortiz, proprietário de uma papelaria na Rua Eduardo Pinto da Rocha, acompanhou o momento em que Greca liberou a abertura do viaduto ao trânsito. “Chega a ser emocionante e até difícil de dimensionar o que essa obra representa para todos nós, moradores e comerciantes da região. É uma nova ponte, totalmente recuperada e segura que vai trazer progresso para todos nós”, disse Ortiz.

Prevenção

O viaduto foi interditado depois de um levantamento realizado por uma empresa contratada pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) para avaliar e inspecionar pontes, trincheiras e demais viadutos e estruturas de concreto armado ou protendido da cidade, as chamadas Obras de Arte Especiais. O estudo detectou a fragilidade estrutural do pilar de apoio do viaduto do Alto Boqueirão.

Para evitar que a estrutura desabasse, o viaduto passou por uma primeira fase de obra, para escoramento com vigas de metal. Em julho deste ano teve início a obra para reforço estrutural, após terem sido vencidos processos burocráticas, como licenças e aprovações, incluindo da concessionária Rumo.

Durante a execução da obra foram observadas dificuldades executivas que exigiram ampliação do tempo para os serviços. Uma consultoria foi contratada e dois laudos foram emitidos, um Relatório de Análise Estrutural e um Relatório de Patologia. “A partir deles, houve um redimensionamento da obra, considerando dados que só puderam ser obtidos a partir do início dos trabalhos”, explica o secretário Rodrigo Araújo Rodrigues.

Após o reforço dos pilares, da laje, da instalação de aparelhos de apoio e correções diversas, o viaduto ficou apto para suportar o trânsito urbano, com a circulação de veículos de até 24 toneladas e, eventualmente, os veículos de 36 toneladas.

Paralelamente às obras que reforçaram e ampliaram a vida útil do viaduto, um projeto para um novo viaduto está sendo desenvolvido pela equipe do Ippuc.

“Ficamos muito satisfeitos com o resultado que agora nos garante uma passagem segura”, disse Luiz Felipe Fernandes, morador do Alto Boqueirão que foi com a filha Esther, de 7 anos, agradecer a obra ao prefeito.

Presenças

Acompanharam a vistoria técnica o engenheiro fiscal da Smop, Felipe Plefh; os engenheiros Mauro Lacerda Santos Filho, Gilberto Piva e Mauro Marcelo; e moradores da região.

Fonte: Prefeitura de Curitiba