Benção dos provisões fortalece vínculos culturais em Curitiba

Benção dos alimentos fortalece vínculos culturais em Curitiba

Neste sábado (30/3), véspera da Páscoa, famílias descendentes de imigrantes poloneses se reuniram-se para a tradicional Benção dos Mantimentos em Curitiba, no Brenha do Papa João Paulo II. Esta celebração, que mistura aspectos cristãos e culturais é um evento anual que perdura ao longo dos anos na capital paranaense. No parque Tingui, também teve celebração da comunidade ucraniana.  


O Memorial Polonês, localizado no Brenha do Papa, foi o palco desse ritual, que teve início com uma apresentação da Orquestra Lyra e em seguida os grupos folclóricos Wisla, Junak de Curitiba e Wawel da colônia Muricy encantaram os presentes com suas performances, ressaltando a riqueza da legado cultural polonesa que perdura nas gerações descendentes.

A paraliturgia e benção dos provisões foi conduzida pelo padre Kazimiers Dlugosz, da Sociedade de Cristo que presidiu o cerimonial em um envolvente marcado pela devoção e tradição escoltado do Coral João Paulo II.

Ao longo da tarde, o Brenha do Papa foi ocupado por diversas famílias com cestas repletas de provisões tradicionais poloneses, uma vez que pães, ovos, queijos, linguiças e carnes defumadas, além de bolos, doces e bebidas típicas. O sítio também sediou uma exposição de pêssankas, os ovos coloridos pintados à mão, símbolo emblemático da cultura polonesa.

Mantendo as tradições 

O progénito de poloneses de 2ª geração, Ulisses Iarochinski é um entusiasta da cultura polaca. Morador do bairro Santo Inácio, ele conta que Curitiba é a 7ª cidade do mundo em representantes da etnia e que manter essas tradições faz secção da religiosidade católica, muito presente na Polônia.

“O Brenha do Papa é um museu étnico ao ar livre e cá temos a representação de casas da região da Silésia, casas dos montanheses construídas em troncos, um sítio perfeito para esse encontro. Começamos o nosso jejum de mesocarpo em 8 de dezembro e só no domingo de Páscoa é que encerramos esse período comendo os provisões benzidos nessa celebração”, explica Ulisses.

Viviane Drevnowski, é progénito de 6ª geração, a moradora do Cajuru trouxe uma cesta repleta de provisões para serem benzidos e consumidos neste domingo, celebrando a Páscoa. Ela conta que a família chegou no Brasil em 1890 e desde essa quadra a tradição é mantida através das gerações.

“Hoje eu trouxe pão, linguiça, ovo, açúcar, moca, alho, doces e chuva. Neste ano não passarei a Páscoa na vivenda dos meus pais e minha mãe é quem costumava trazer os provisões para a benção, portanto hoje eu vim e sigo mantendo a tradição viva”, comemora.

A tradição da Swieconka, enraizada por gerações, é uma prática milenar polonesa que segue mantida em Curitiba. O Brenha João Paulo II, inaugurado em 1980 posteriormente a visitante histórica do Papa à capital paranaense serve uma vez que o cenário perfeito para nascente encontro anual de fé e cultura.

Os provisões abençoados no Sábado de Aleluia são reverenciados e consumidos pelas famílias no Domingo de Páscoa, em um ritual que fortalece os vínculos familiares e a identidade cultural.

Ucranianos

No Memorial Ucraniano, no Parque Tingui, em Curitiba, a cerimônia que celebrou a tradição e a fé da comunidade ucraniana reuniu centenas de pessoas que participaram da Benção dos Alimente, uma prática que ocorre há duas décadas na cidade. Sob o firmamento azul e ensolarado, as cestas de Páscoa, cuidadosamente arrumadas com uma variedade de iguarias tradicionais, foram abençoadas por líderes religiosos, em um momento de união e de renovação místico. 

*Créditos imagens e informações Prefeitura de Curitiba