Crianças do Cras Atuba visitam exposição no Solar do Barão

Crianças do Cras Atuba visitam exposição no Solar do Barão

 

Crianças e adolescentes assistidos do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Atuba viveram experiências novas na manhã desta terça-feira (2/8).

O grupo do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SVFC) do Cras foi levado para visitar a exposição Bichos Vizinhos, que ocupa o Museu da Gravura do Solar do Barão até o dia 5 de agosto, e também conheceu o atelier de litogravura.

A visita é resultado de uma parceria entre a Fundação Cultural de Curitiba (FCC) e a Fundação de Ação Social (FAS) e faz parte de um projeto da Lei Municipal de Inventivo à Cultura.

De acordo com a supervisora do núcleo da FCC da Regional Boa Vista, Cristina Herrera, o projeto consiste em duas idas do artista Jozé Roberto da Silva ao Cras para uma oficina de encadernação, que já foi realizada com as crianças. 

 

Visitas guiadas

Agora, as crianças Cras estão fazendo duas visitas guiadas, no Solar do Barão e no Museu de História Natural. Segundo a educadora social Zelda Vicini, que acompanhou a visita ao lado da assistente social Tatiane Santos Prestes, participaram dessa oficina as crianças dos projetos Olhando para o Futuro e Lápis Encantado.

“O artista precisa de público para que a sua obra cumpra o papel e se realize aos olhos do expectador. É isso que nós estamos fazendo em parceria com a FAS, trazendo este público para conhecer arte”, explicou Cristina.


Perda na arte

Bichos Vizinhos é um projeto idealizado pelo artista e biólogo Dalton Reynaud, quando era orientador de desenho no Museu da Gravura, e mostra a relação entre humanos e animais. A chegada da pandemia paralisou os trabalhos dos artistas. Em julho de 2021, Dalton faleceu, vítima da covid-19.

“Foi uma grande perda para nós artistas. Decidimos levar o projeto adiante que culminou nessa exposição”, explicou Jozé Roberto da Silva, anfitrião do grupo de visitantes.

Experiência gratificante

As crianças do Cras viram os 30 trabalhos de autoria de Dalton Reynaud, Jéssica Luz, Jozé Roberto da Silva, Juliana Leonor Kudlinski, Luciano Ogura, Maria Lucia de Julio e Vinícius Buzzatto, e fizeram muitas perguntas, principalmente sobre o processo de confecção das obras.

A venezuelana Angélica Laya, 12 anos (há cinco anos no Brasil), não conhecia o Solar do Barão. “É a primeira vez que vejo uma exposição de arte e achei muito interessante. Quero voltar aqui com a minha família”, garantiu.

Manuela dos Santos Lusfrança, 11 anos, também ficou encantada com tudo o que viu, especialmente porque gosta de desenhar. “Eu gosto muito de desenhar, pessoas, objetos, casas. Gostei muito, este prédio é muito bonito e tudo aqui é perfeito. Virei outras vezes”, disse a menina.

Fonte: Prefeitura de Curitiba