Curitiba chega aos 331 anos sendo referência vernáculo porquê cidade educadora

Curitiba chega aos 331 anos sendo referência nacional como cidade educadora

Ampliação das escolas com oferta de tempo integral, aumento de vagas na Ensino Infantil, Faróis do Saber e Inovação com impressoras 3D, Faróis Móveis, novas quadras cobertas, equipes de robótica premiadas em torneios nacionais e internacionais. O zelo da Prefeitura com essas e outras ações colocam a rede municipal de ensino de Curitiba em posição de destaque.

A capital do Paraná permanece no topo do ranking vernáculo porquê a capital com menor taxa de distorção idade-série na rede municipal pública de ensino. Levante ano, Curitiba fechou com percentual de 2,3%. Os dados foram divulgados em fevereiro pelo Instituto Vernáculo de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), ligado ao Ministério da Ensino.

A taxa é o indicador do governo federalista que permite escoltar o percentual de estudantes com idade supra da esperada para o ano em que estão matriculados. O índice é produzido a partir dos dados do recenseamento escolar.

Curitiba também se destacou no Índice de Desenvolvimento da Ensino Básica (Ideb) dos anos iniciais do Ensino Fundamental. No ano pretérito, a cidade subiu da quarta para a terceira colocação entre as capitais. O Ideb é o principal indicador da qualidade do ensino no país.

O prefeito Rafael Greca ressalta que os indicadores refletem os investimentos do município.

“Os curitibinhas aprendem inovação desde cedo, chegarão preparados para os empregos do horizonte. Também aprendem a amar nossa cidade com o programa Linhas do Conhecimento, que transforma nossa Curitiba numa sala de lição a firmamento sincero”, afirma Greca.

A estudante Beatriz de Jesus, da Escola Municipal Ayrton Senna (Cajuru), adora o Linhas. “É muito risonho aprender assim”, resume a moçoila.

O programa promove práticas de exploração e conhecimento da cidade em aulas de campo, propostas lúdicas e projetos em museus, Faróis do Saber e Inovação, parques e praças. Desde a geração do programa, já foram ofertadas 213 ações diferentes, que beneficiaram 309,7 milénio crianças e estudantes e 32,8 milénio professores. Para nascente ano, novas propostas foram incluídas.

Novos CMEIs

Desde 2017, foram colocados em funcionamento 27 novos Centros Municipais de Ensino Infantil (CMEIs), totalizando 232 em funcionamento, e outros seis devem ser entregues ainda nascente ano, durante as comemorações do natalício da cidade.

No caso de instituições de ensino privadas que atendem vagas da Prefeitura de Curitiba, o número de contratos dobrou no mesmo período, com 159 Centros de Ensino Infantil (CEIs) contratados nascente ano. Com isso, o número de crianças atendidas subiu de 45 milénio para 55 milénio.

Em relação ao número de escolas em oferta do tempo integral, a expansão é feita de maneira gradativa desde 2017, quando a rede somava 86 unidades com integral, e depende da estrutura das unidades e da demanda da comunidade. A meta é fechar nascente ano com todas as unidades ofertando pelo menos secção das turmas no integral ou nas Unidades de Educação integral (UEIs) próximas. Em 2023 foram entregues três UEIs, no Portão, Boa Vista e Tatuquara.

Atualmente são atendidos 55 milénio estudantes em período integral, em turmas da instrução infantil e do Ensino Fundamental. Há sete anos, eram 42 milénio.

O integral permite que o estudante permaneça com até 9h de atividades na escola e garante chegada a atividades pedagógicas diferenciadas, porquê Práticas de Movimento, Ciência e Tecnologia, Matemática, Ensino Ambiental, Língua Portuguesa, entre outras. Também recebem sustento escolar adequada ao tempo maior em que permanecem na unidade educacional. Aliás, são ofertadas atividades do Projeto Mãos na Massa, Curitibinhas Poliglotas, Leia+, entre outros.

Faróis com inovação

A cidade ganhou 33 espaços maker, sendo 32 nos Faróis do Saber e Inovação e mais um no Laboratório Pedagógico de Inovação (na sede da Secretaria Municipal de Ensino). Todas as dez regionais estão contempladas. São uma evolução do projeto dos Faróis do Saber, ícones da primeira gestão Greca (1993-1996). Os Faróis da Inovação têm impressoras 3D para prototipia, onde os estudantes e a comunidade desenvolvem projetos dentro do concepção mãos na tamanho/faça você mesmo.

Equipamentos novos

Tablets, celulares, microscópios eletrônicos, impressoras 3D, óculos de verdade virtual, centrais multimídia, kits de robótica. Tudo isso integrou o pacote de equipamentos adquiridos pela Secretaria Municipal da Educação nos últimos três anos para beneficiar as 140 milénio crianças e estudantes da rede municipal de ensino.

Ao todo, foram R$ 128 milhões em investimentos desde 2021, valor que inclui o projeto dos Faróis Móveis, que já estão em todas as unidades educacionais.

Em 2022, as escolas municipais começaram a receber equipamentos tecnológicos para renovação dos laboratórios de informática e espaços maker (faça você mesmo). Há mais de dez anos não havia uma renovação para toda a rede. Foram adquiridos itens para uso pedagógico e administrativo (porquê direção e sala dos professores) com investimentos totais de R$ 41,8 milhões.

Mobiliário trocado

Em 2021 e 2022, as unidades educacionais receberam móveis, materiais, brinquedos e equipamentos novos, porquê secção de uma iniciativa inédita de renovação do mobiliário. O montante totalidade investido foi de R$ 40 milhões.

As compras foram feitas conforme a urgência das escolas ou creches – cada uma elencou os itens que precisava receber (armários, gaveteiros, sofás, aparelhos de TV, lava-roupas, micro-ondas, cadeiras, jogos educativos, carteiras, brinquedos, panelas, material de escritório, entre outros).

Inclusão

O Centro de Ensino Estruturado para o Transtorno do Espectro Autista (CEETEA), inaugurado em 2019, é pioneiro no país. A prioridade de atendimento é avaliada por secção da equipe técnica e inclui entrevista com as famílias. Os atendimentos são no horário de contraturno. A gestão também entregou o CMAEE Tatuquara.

Cidade Educadora

Curitiba fez sua adesão à rede internacional das Cidades Educadoras em 2019. Em maio deste ano, a capital do Paraná vai sediar o Congresso Internacional da rede, porquê reconhecimento às ações e projetos relacionados ao tema.

Ensino remoto na pandemia

Nos períodos de isolamento por justificação da pandemia da covid-19, a rede municipal de ensino garantiu o chegada aos conteúdos curriculares, por meio da TV Escola Curitiba, na TV oportunidade e no YouTube. As famílias das 140 milénio crianças da rede municipal de ensino receberam 1,8 milhão de kits de sustento escolar, para suprir as necessidades nutricionais dos estudantes. Tiveram recta à sustento escolar todas as famílias com filhos matriculados na rede municipal de ensino de Curitiba – escolas, Centros Municipais de Ensino Infantil (CMEIs) e Centros de Ensino Infantil (CEIs) contratados.

Mãos na Volume

Lançado em 2019 o Projeto Mãos na Massa – economia doméstica para estudantes (ateliês e cozinhas industriais nas escolas) ensina gastronomia, incisão e costura, entre outras atividades mãos na tamanho relacionadas aos conteúdos do currículo.

Salário na instrução infantil

A Prefeitura de Curitiba aumentou o piso salarial dos professores da Ensino Infantil da rede municipal de ensino. O salário de professores de instrução infantil com ensino médio (magistério 40 horas) subiu de R$ 2.792,21 milénio para R$ 3.845,63.

*Créditos imagens e informações Prefeitura de Curitiba