Curitiba vai estudar parcerias com empresa espanhola para geração de eletricidade pelo solo

Curitiba vai começar estudos para usar baterias biológicas que geram eletricidade a partir da energia liberada quando o solo orgânico se decompõe. Nesta terça-feira (19/3), o prefeito Rafael Greca teve uma reunião com o arquiteto espanhol Eduardo Gutiérrez Munné, sócio da empresa ON-A, parceira da Bioo, que desenvolveu o projeto inovador e sustentável de energia gerada pelo solo. A reunião aconteceu no gabinete do prefeito na sede da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, no Parque Barigui.

Munné será um dos principais participantes do primeiro dia do Smart City Expo Curitiba, que começa nesta quarta-feira (20/3), no Centro de Eventos do Positivo (Parque Barigui). O prefeito Rafael Greca afirmou que a Prefeitura de Curitiba tem interesse em fazer estudos e futuras parcerias com a empresa espanhola. 

“Isso é o verdadeiro futuro, é uma inovação efetiva porque retorna às origens da vida, com o oxigênio e o hidrogênio. É uma grande honra receber essas ideias em Curitiba, queremos fazer parcerias com a Bioo”, disse Greca.

Nesta terça-feira (19/3), Munné conheceu o Passeio Público e se encantou com a natureza do local no Centro da cidade. “Produzimos eletricidade através das plantas. Analisamos a biodiversidade da natureza e descobrimos que quando os microrganismos se comem, a matéria orgânica da terra produz elétrons e hidrogênio”, explicou Munné.

“Tudo isso é muito interessante. Queremos fazer algo para o futuro, aplicar essa biotecnologia em benefício à coletividade, nos parques e edifícios públicos. Se é possível mostrar que o mundo pode ser melhor, vamos fazer. Assim como fizemos com a Pirâmide Solar de Curitiba, que foi instalada sobre um aterro sanitário desativado”, afirmou Greca. 

Essa biotecnologia já é aplicada em Barcelona, na Espanha, onde será inaugurado o primeiro edifício com o hall e algumas fachadas usando essa inovação. O arquiteto espanhol explicou que o sistema também pode ser usado no controle de temperatura em ambientes fechados.

A secretária municipal do Meio Ambiente, Marilza Dias, disse que Curitiba tem muito interesse no assunto. “Queremos trabalhar em projetos em conjunto, isso pode ser aplicado nas nossas áreas verdes, como o Jardim Botânico, na Galeria das Quatro Estações e em nossos parques”, disse Marilza.

Como funciona

A Bioo é pioneira no mundo na criação de baterias que geram eletricidade a partir da fotossíntese do solo. Dessa forma, são baterias sustentáveis e biológicas, que usam fontes naturais em vez de materiais poluentes como o lítio usado em baterias comuns.

As baterias têm o formato de uma caixa retangular e podem ser escavadas em qualquer solo fértil. Eles produzem até 200Wh por ano por metro quadrado.

O uso dessa energia limpa, sustentável e renovável vai desde iluminação de espaços públicos a aplicações na Agricultura Urbana. Nos projetos da Bioo na Europa, em parques e praças, lâmpadas podem ser acesas com um toque nas plantas conectadas à bateria biológica (saiba mais aqui).

A secretária municipal da Comunicação Social, Cinthia Genguini, e o assessor de Articulação Política, Lucas Navarro, também participaram da reunião. 

Fonte: Prefeitura de Curitiba