Eduardo Pimentel anuncia parceria para capacitação de filhos de catadores de recicláveis de Curitiba

O vice-prefeito de Curitiba e secretário de Estado das Cidades, Eduardo Pimentel, participa do lançamento do programa Conectando o Futuro, iniciativa que ofertará cursos de tecnologia da informação para os filhos e netos dos catadores de recicláveis da cidade. Foto: Divulgação

O vice-prefeito de Curitiba e secretário de Estado das Cidades, Eduardo Pimentel, participou nesta segunda-feira (18) do lançamento do programa Conectando o Futuro, iniciativa que ofertará cursos de tecnologia da informação para os filhos e netos dos catadores de recicláveis da cidade. A ação é uma parceria da Prefeitura de Curitiba com o Instituto Catadores de Futuro e a Universidade Livre para Eficiência Humana (Unilehu) e o lançamento foi na sede do Sinpacel, no Rebouças.

“Curitiba é a cidade mais sustentável da América Latina porque investe nas pessoas e inovação só vale quando é transformada em processo social. Emprego é a emancipação do cidadão”, afirmou Pimentel. Ele destacou o trabalho feito em Curitiba na área de sustentabilidade e citou a Pirâmide Solar, na Caximba, a Família Folhas e a Fazenda Urbana do Cajuru como exemplos. 

A presidente do Instituto Catadores de Futuro, Solange de Freitas, agradeceu o apoio do setor público e disse que a integração é fundamental para o sucesso da ação. “Vamos oferecer cursos gratuitos para adolescentes e jovens de 16 a 24 anos. Ao final eles estarão preparados para trabalhar em uma empresa no nível de suporte de informática”, disse ela.

Em agosto, o prefeito Rafael Greca se reuniu com os fundadores do Instituto Catadores de Futuro e da Unilehu na Prefeitura de Curitiba. Eduardo representou Greca no evento de lançamento do instituto.

Ecocidadão

Eduardo Pimentel explicou que Curitiba conta com 40 associações de catadores de material reciclável dentro do programa Ecocidadão, da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. O objetivo principal é melhorar a qualidade de vida desses trabalhadores e fortalecer a rede de coleta e separação de materiais reciclados. 

Cada associação participante recebe remuneração conforme a quantidade de material recebido, valor que é utilizado para cobrir as despesas. O lucro vem da venda dos materiais separados nos barracões.

Fonte: Prefeitura de Curitiba