Em trimestre com recorde de chuva, Curitiba supera problemas com obras e prevenção

Em trimestre com recorde de chuva, Curitiba supera problemas com obras e prevenção

Neste ano, a primavera, a chamada estação das flores, foi marcada em Curitiba pelo excesso de chuvas que ocasionou transtornos aos curitibanos, com alagamentos, erosões e muitos estragos pela cidade. No período de 23 de setembro a 21 de dezembro, a cidade registrou recordes de volume pluviométrico, com 901 mm, segundo dados da Estação Meteorológica da Defesa Civil, localizada no Centro, às margens do córrego Bigorrilho.

Outubro, por exemplo, foi o mais chuvoso dos últimos 26 anos na capital paranaense, com o recorde de 559,8 mm. Toda essa quantidade de chuva torna cada vez mais difícil para o poder público reduzir o impacto sobre a infraestrutura da capital. No entanto, os trabalhos de recuperação de vias, pontes, calçadas, canais e erosões em terrenos têm sido realizados pela Secretaria Municipal de Obras Públicas (Smop) e pela Secretaria de Governo Municipal (SGM), através da Zeladoria Urbana.

Além de um amplo e constante trabalho preventivo feito pela Prefeitura para tornar Curitiba cada vez mais resiliente, as equipes estão constantemente de prontidão nos bairros das dez administrações da cidade.

Integradas, as equipes ficam em campo, trabalhando para mapear e restabelecer danos causados pelas fortes precipitações. Sempre que começa a chover, ações emergenciais são deflagradas priorizando a segurança e o bem-estar dos cidadãos. As primeiras medidas são tomadas pela Defesa Civil e pela Fundação Social (FAS) para atendimento às famílias atingidas pelos temporais.

Prevenção e eventos climáticos

Embora a Prefeitura de Curitiba mantenha um amplo programa preventivo, eventos climáticos extremos, como a chuva concentrada do período, podem ocasionar danos significativos na infraestrutura urbana.

“Apesar dos esforços contínuos, as altas precipitações impactam significativamente a infraestrutura urbana devido ao solo saturado, suscetível a erosão e deslizamentos. O sistema de drenagem também enfrenta sobrecarga, levando a transbordamentos e inundando áreas urbanas durante os períodos de chuvas intensas”, reforça o secretário municipal de Obras Públicas, Rodrigo Araújo Rodrigues.

Além disso, equipes da Smop e da Defesa Civil trabalham constantemente na avaliação dos casos e realização dos atendimentos necessários. Equipes da Secretaria de Governo Municipal (SGM) também atuam na avaliação e planejamento das correções das erosões surgidas devido ao grande volume de água, além da limpeza das caixas de captação e desobstrução das redes de galerias de águas pluviais, que compõem o sistema de microdrenagem da cidade.

Curitiba Contra Cheias

A Prefeitura de Curitiba tem implementado medidas constantes para prevenir enchentes e minimizar os impactos das fortes chuvas. O Programa Curitiba Contra Cheias, coordenado pela Smop, visa ampliar a capacidade de escoamento das águas pluviais através de serviços, obras e manutenções de macrodrenagem por toda a cidade. O programa tem desempenhado um papel crucial, desenvolvendo obras de macrodrenagem em diversos pontos da cidade, além de ações constantes de manutenção das estruturas preventivas e limpeza e desassoreamento de rios.

Somam-se ao programa outras importantes ações do município para mitigar os efeitos das mudanças climáticas, como os programas 100 mil árvores e o Amigo dos Rios, da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, e campanhas de sustentabilidade e conscientização, como a volta da Família Folhas. Todas essas ações se mostraram eficazes para a minimização dos alagamentos na cidade provocados pelas fortes chuvas dos últimos dias.

Rios e córregos

Uma das principais ações para reduzir os danos de tempestades é a limpeza constante dos rios e córregos da cidade. As ações são coordenadas pelas Secretarias Municipais de Obras Públicas e do Meio Ambiente. As ações de limpeza e desassoreamento ocorrem simultaneamente às obras de macrodrenagem realizadas nos bairros, aumentando a capacidade dos rios e córregos de resistirem a transbordamentos e grandes precipitações. Todas as ações estão alinhadas ao Plano Municipal de Mitigação e Adaptação às Mudanças Climáticas (PlanClima). O município também reforçou sua participação na rede C40, de cidades unidas na luta contra as mudanças climáticas.

População pode ajudar

A população tem um papel fundamental na prevenção de alagamentos na cidade. A Prefeitura de Curitiba promove campanhas de conscientização para a população, enfatizando a importância do destino correto de resíduos e de não jogar lixo nos rios. O descarte inadequado de materiais como terra, lixo e móveis contribui para o assoreamento dos rios, aumentando o risco de alagamentos.

A Prefeitura oferta uma série de serviços de destinação correta dos resíduos. Curitiba realiza a coleta de lixo comum, lixo reciclável, lixo tóxico e lixo eletroeletrônico. Confira no site Coleta de Lixo como fazer os descartes corretos para cada tipo de material.

O cidadão também pode encaminhar, diretamente, os entulhos a um dos 11 Ecopontos, de segunda a sábado. Além disso, o cidadão pode solicitar, pela Central 156, serviços de manutenção, limpeza e desobstrução de valas, galerias de águas pluviais e de caixas de captação, as chamadas “bocas de lobo”, nas vias públicas.

Fonte: Prefeitura de Curitiba