Enquanto obra avança, Cohab Curitiba explica para moradores da Vila Divino como será a escolha das casas

Enquanto obra avança, Cohab Curitiba explica para moradores da Vila Divino como será a escolha das casas

A casa onde está morando a líder comunitária Gelcira de Andrade recebeu, nesta quinta-feira (23/11), uma reunião entre representantes da Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) e moradores da Vila Divino (Atuba). Em pauta, o cronograma de obras e os critérios para a escolha de qual unidade habitacional ficará para cada uma das 108 famílias beneficiadas.

“Estamos executando o projeto de revitalização da Vila Divino com recursos próprios da Prefeitura no valor de RS 23,9 milhões. Além da construção de 108 novas casas, a intervenção contempla obras de infraestrutura e recuperação ambiental das áreas que foram degradadas pela ocupação indevida”, explica o presidente da Cohab, José Lupion Neto.

Para possibilitar o início das obras, durante o ano 49 famílias foram transferidas do local e estão recebendo auxílio-moradia até que as casas definitivas fiquem prontas. É o caso de Gelcira, que com o valor do benefício conseguiu alugar um bom imóvel há 200 metros do canteiro de obras do projeto.

E foi nesta moradia que aconteceu a reunião da qual participaram lideranças da comunidade, engenheiro e assistentes sociais da Cohab. “Foi uma reunião muito boa, ficou bem claro como serão os critérios para escolha das casas”, disse Gelcira, popularmente conhecida na região como Dona Gê.

Sorteio com prioridades

O Moradias Vila Divino será formado por três condomínios de 36 casas cada um. As moradias serão sobrepostas, com unidades térreas e unidades no piso superior.

A escolha acontecerá por sorteio, com prioridade para pessoas com mobilidade reduzida. Idosos e pessoas com deficiência ficarão com as unidades térreas, para que não precisem subir e descer escada.

Por ordem de sorteio, as pessoas com prioridade escolherão que unidade térrea irão morar, com a possibilidade de manter os vínculos familiares e de vizinhança.

Em seguida, também por ordem de sorteio, os demais moradores cadastrados escolherão entre as unidades restantes. O líder comunitário Vandi de Lima ressaltou a importância desse diálogo entre o poder público e a comunidade.

“Reunião esclarecedora, para tirarmos dúvidas que os moradores possam ter. Assim nós levamos as informações corretas para o resto da comunidade, para todos terem ciência do andamento da obra e outras questões importantes”, disse.

O presidente da Associação de Moradores, Gean de Oliveira, também elogiou a iniciativa. “ Para alinhar as ações, mantemos uma comunicação igualitária entre o órgão realizador do projeto e os moradores beneficiados. Para que essa transição de área irregular para uma nova Vila Divino seja benéfica a todos. Nós que estamos no dia a dia da comunidade conhecemos as demandas da população”, enfatiza.

 

Obra

Como em qualquer grande obra, a frequência de dias chuvosos acaba atrapalhando o andamento da construção, especialmente na fase de fundação das moradias. Mesmo nesse cenário, a obra na Vila Divino evoluiu: parte das moradias está na fase das fundações, e outras já estão mais avançadas, com paredes de alvenaria sendo erguidas.

O projeto também inclui obras de infraestrutura, como pavimentação de vias, redes de drenagem, água e esgoto. As casas de dois quartos terão uma área privativa de 45 m².

Todas elas serão equipadas com painéis fotovoltaicos, como parte do projeto Cohab Solar, lançado em 2018 pelo prefeito Rafael Greca. O equipamento permite a geração de energia elétrica por meio da radiação solar.

Ao mesmo tempo em que contribui para a preservação do meio ambiente, ao utilizar uma energia limpa e renovável, a iniciativa promove economia para as famílias nas contas de luz, em média 80%.

“Por ações como essa, Curitiba recebeu o prêmio de Cidade Mais Inteligente do Mundo. Estamos no caminho certo ao cuidar das pessoas e também da natureza”, destacou o vice-prefeito Eduardo Pimentel.

Fonte: Prefeitura de Curitiba