Evento na Praça Rui Barbosa, nesta sexta, marca o Dia Mundial de Luta contra a Aids em Curitiba

Evento na Praça Rui Barbosa, nesta sexta, marca o Dia Mundial de Luta contra a Aids em Curitiba

O Dia Mundial de Luta contra a Aids, comemorado anualmente em 1º de dezembro, será celebrado em Curitiba com um dia de mobilização na Praça Rui Barbosa, no Centro da cidade, com a oferta de testes rápidos e orientação à população sobre prevenção. O evento acontecerá nesta sexta-feira (1/12), entre 9h e 16h, numa parceria da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba, Serviço Social do Comércio (Sesc) e Secretaria de Estado da Saúde.

Segundo a secretária municipal da Saúde de Curitiba, Beatriz Battistella, a estratégia de oferecer testes rápidos para HIV/Aids tem o objetivo de chamar a atenção das pessoas sobre uma doença que não tem cura, mas que tem tratamento.

“Quanto antes identificarmos portadores do vírus, podemos iniciar o tratamento e evitar que as pessoas adoeçam, além de interromper a cadeia de transmissão do HIV”, alerta a secretária.

Neste ano, o foco principal da prefeitura de Curitiba para o Dia Mundial é incentivar a testagem para o HIV.

“Todas as pessoas que um dia na vida tiveram relação sexual sem o uso de preservativo correram o risco de pegar o HIV, por isso é importante que essas pessoas se testem”, alerta a médica infectologista da Secretaria Municipal da Saúde, Cléa Elisa Lopes Ribeiro.

“Hoje todas as pessoas que testam positivo para o HIV iniciam imediatamente o tratamento pelo SUS, o que evita que elas adoeçam, além de interromper a cadeia de transmissão do vírus”, explica.

Segundo a médica, a partir do momento que a pessoa inicia o tratamento, a quantidade de vírus no organismo se torna indetectável, portanto, se torna intransmissível. Por isso é essencial que as pessoas se testem, façam o tratamento para que a carga viral se torne indetectável e intransmissível. “Dessa forma poderemos controlar a epidemia da aids no mundo”, disse.

O teste rápido de HIV/Aids pode ser agendado por meio da Central Saúde Já – 3350-9000 e realizado em uma das 109 unidades de saúde de Curitiba.

Diferença entre HIV e aids

O HIV (vírus da imunodeficiência humana) é o vírus que causa a aids (doença). A contaminação se dá principalmente por meio sexual e o vírus se multiplica no organismo, mas permanece adormecido por um determinado período, chamado de latência. Nesse período a pessoa não tem sintomas, mas transmite o vírus em relações sexuais sem proteção.

Com o passar dos anos, em média até dez anos depois da contaminação, o sistema de defesa da pessoa contaminada com o HIV fica debilitado, o que a torna suscetível a doenças oportunistas, como pneumonia, tuberculose, entre outras. Essa debilidade do sistema imune já é a manifestação da doença aids.

“Quando a pessoa inicia o tratamento para o HIV, sem a manifestação da doença, ela toma dois comprimidos por dia. Já se a doença se manifesta e aparecem doenças oportunistas, o paciente deve tomar de 10 a 12 comprimidos ao dia”, relata a médica infectologista.

O tratamento do HIV/aids está disponível no SUS Curitibano e pode ser retirado em cinco Unidades Dispensadoras de Medicamentos a partir do diagnóstico e indicação de receita médica.

Números

Em Curitiba, a incidência de casos está localizada principalmente na chamada população chave: mais de 70% dos casos de HIV/aids estão concentrados na população masculina, principalmente em homens que fazem sexo com homens.

Desde o início da epidemia, na década de 1980, até 15 de outubro de 2023, ano base 2022, foram notificados 14.137 casos de aids em Curitiba, sendo 10.131 homens e 4.238 mulheres. O total de notificações de infecção pelo HIV nesse período é de 8.888, sendo 6.680 homens e 2.208 mulheres.

Em 2021, foram diagnosticados 803 casos de HIV/aids em Curitiba e em 2022, foram 778 casos.

Desde 2017, o município de Curitiba tem a certificação de eliminação da transmissão vertical do HIV de mãe para filho.

Com a divulgação permanente das medidas preventivas, oferta sistemática de testagem e evolução do tratamento, a partir de 2013 há mais notificações de casos de infecção pelo HIV do que aids, sendo esta relação de dois casos HIV para cada caso de aids.

“Esses dados mostram que estamos evoluindo nas estratégias para fazer o diagnóstico precoce em nossa cidade, o que é muito positivo, uma vez que a maioria dos pacientes notificados são assintomáticos”, diz a secretária Beatriz Battistella.

Alerta

Apesar da evolução das técnicas de diagnóstico, tratamento e controle do HIV/aids, a SMS reforça a necessidade de a população manter as medidas preventivas.

“É preciso lembrar que ainda não temos a cura para a aids. Uma vez contaminada e iniciado o tratamento, a pessoa vai tomar medicamentos para toda a vida, todos os dias”, destaca a médica Cléa Ribeiro, ressaltando que o uso de preservativos previne a contaminação pelo HIV/aids e também outras infecções sexualmente transmissíveis (IST).

Atualmente, além da orientação do uso de preservativos para evitar a transmissão, também há medicamentos que podem ser usados antes da relação sexual desprotegida (PrEP – Profilaxia Pré-exposição), e medicamentos para serem usados após a exposição ao vírus sem proteção (PEP – Profilaxia Pós-exposição), que deve ser feita nas primeiras 72 horas após o risco.

História

O Dia Mundial de Luta contra a Aids foi instituído em 1988 pela Organização Mundial da Saúde durante Assembleia Geral da ONU, cinco anos após a descoberta do vírus da imunodeficiência humana (HIV), causador da doença. Naquela época, 65,7 mil pessoas já tinham sido diagnosticadas com o vírus e 38 mil já tinham falecido.

Na década de 1980 o objetivo da data era chamar a atenção da população para a aids e combater o preconceito e a discriminação contra as pessoas que tinham a doença. Com o passar do tempo, o Dia Mundial se tornou uma estratégia para que o mundo todo fale sobre o assunto, destacando as formas de tratamento, prevenção, preconceito e estigma.

Eventos

Além do evento na Praça Rui Barbosa, a SMS vai participar da mobilização do Dia Mundial de Luta contra a Aids no Ceasa Curitiba. A equipe de saúde do Distrito Sanitário Tatuquara vai oferecer testes rápidos, distribuição de autotestes, preservativos e materiais educativos, além de vacinação e orientação sobre infecções sexualmente transmissíveis.

Serviço

Dia Mundial de Luta contra a Aids

  1. Oferta de testes rápidos e orientação à população

    Data: 1º de dezembro

    Horário: 9h às 16h

    Local: Praça Rui Barbosa, em frente à Santa Casa de Curitiba
  2. Dia de mobilização Dezembro Vermelho

    Data: 1º de dezembro

    Horário: 9h às 12h

    Local: Ceasa Curitiba – Rod BR 116 km 10 Ceasa Curitiba – Tatuquara



Unidades de Dispensação de Medicamentos

  • Centro de Especialidades Santa Felicidade

    Av. Toaldo Tulio, 2500 – São Braz

    Horário de atendimento: 13h às 19h
  • Centro de Especialidades Salgado Filho

    Av. Salgado Filho, 5265 – Uberaba

    Horário de atendimento: 7h às 18h
  • Centro de Orientação e Aconselhamento – COA

    Rua do Rosário, 144 – 6º andar – São Francisco

    Horário de atendimento: 8h às 17h
  • Centro de Especialidades Vila Hauer

    Rua Waldemar Kost, 650 – Hauer

    Horário de atendimento: 7h30 às 18h
  • Unidade de Saúde Monteiro Lobato

    Rua Olívio José Rossetti, 538 – Tatuquara

    Horário de atendimento: segundas e quartas a partir das 14h; quintas a partir das 11h

Fonte: Prefeitura de Curitiba