Futebol e projetos sociais movimentam esporte no Bairro Novo

Futebol e projetos sociais movimentam esporte no Bairro Novo

 

Jogar futebol com os amigos em espaços bem estruturados, com iluminação eficiente, alambrados e traves com redes já faz parte da rotina dos moradores da Regional Bairro Novo.

A região formada pelos bairros Sítio Cercado, Ganchinho e Umbará tem cinco quadras de grama de sintética, sem contar os outros locais para prática de esportes disponíveis.

Os equipamentos foram instalados pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente no lugar de quadras de areia. As áreas receberam drenagem e novos alambrados, além de nova iluminação em LED feita pela Secretaria Municipal de Obras Públicas.

Bola rolando

De acordo com a chefe do núcleo da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude (Smelj), que administra os espaços, as quadras de grama sintética são usadas para atividades direcionadas pela Smelj, mas também são abertas à comunidade.

“Além das nossas atividades, existem vários projetos que são coordenados por voluntários e os espaços também são usados para bater bola entre jovens, adultos e veteranos”, explicou Veridiana.

Águias da Bola

Um desses projetos é o Águias da Bola, que trabalha com crianças de 7 a 17 anos na quadra de grama sintética da Praça Jornalista Luzimar de Maria Dionysio (Meio-quilo), no Sítio Cercado.

Os treinos acontecem todos os sábados, das 8h às 12h. Atualmente, são 50 inscritos divididos por faixa etária: sub7, sub9, sub11, sub13 sub15, sub17 e feminino.

Quem coordena o projeto é João da Silva Rocha, que faz este trabalho há dez anos com as crianças da comunidade.

“Eu tinha essa determinação de servir a um propósito para ajudar a formar cidadãos e usei o meu tempo livre do sábado para encampar a ideia”, contou ele, que é morador do Umbará.


De olho no boletim

João, que é formado em administração de empresas e atualmente atua como supervisor de logística, explicou que a organização Águias da Bola é um projeto social sem fins lucrativos que investe na ressocialização da criança. O projeto atua no Paraná, Santa Catarina e em Bogotá na Colômbia, envolvendo cerca de 1.500 crianças.

“Não é cobrado nada dos participantes, mas temos algumas normas que precisam ser seguidas, como não falar palavrão, e no fim do ano pedimos para ver o boletim para passar alguma orientação ao participante que possa auxiliar nos estudos”, relatou João.

Para participar, os interessados devem procurar o instrutor João aos sábados na Praça Jornalista Luzimar de Maria Dionysio para fazer o cadastro.

Outras quadras que abrigam projetos coordenados por voluntários funcionam na quadra da Praça José Egydio Busnardo, (projeto Amigos da Bola) e na Praça Napoleão Cortez Filho (Projeto Social Futebol Soccer), ambos no Sítio Cercado.

Esporte+Escola=10

As quadras sintéticas também abrigam os programas da Smelj, como é o caso do projeto Esporte+Escola=10, uma parceria da Smelj com a Secretaria da Educação. As atividades acontecem na Praça Professora Marli de Queiroz, no Sítio Cercado, e na Praça José Soares Grobe, na Vila Tecnológica.

Fora dos horários dos projetos da Smelj e voluntários, os espaços são liberados para a comunidade que pode se organizar e utilizar o campo para bater bola entre jovens, adultos e veteranos.

O jovem Matheus Mulke, 16 anos, que estuda no Colégio Estadual Iara Bergmann, disse que sempre joga aos fins de semana e terças à noite na quadra sintética instalada no cruzamento das ruas Guaçui com Reinaldo de Carvalho, no Ganchinho.

“É perto da minha casa, a quadra é boa e tenho muitos amigos aqui”, explicou.

Wendell Felipe, 16, que é colega de Matheus no Colégio Estadual Iara Bergmann, também é freguês da quadra. “O local é muito bom, a quadra é larga e grande, muito adequada para jogar futebol”, concluiu.

Fonte: Prefeitura de Curitiba