Relação entre Curitiba e Paranaguá pela BR-277 será triplicada em sete anos

Ligação entre Curitiba e Paranaguá pela BR-277 será triplicada em sete anos

O trecho da BR-277 entre Curitiba e Paranaguá, no Litoral do Paraná, será integralmente triplicado nos próximos sete anos. A terceira pista será implantada numa extensão de 138 km.

O compromisso foi reafirmado, nesta terça-feira (26/3), pelos diretores da Concessionária EPR Litoral Pioneiro, Marcos Moreira e Roberto Longman, durante visitante ao prefeito Rafael Greca, no Palácio 29 de Março.

Participaram da reunião, o vice-prefeito e secretário de Estado das Cidades, Eduardo Pimentel; os secretários municipais Luiz Fernando Jamur (Governo Municipal e presidente do Ippuc), Marilza Dias (Meio Envolvente) e Cínthia Genguini (Comunicação Social); e a assessora da Concessionária EPR Litoral Pioneiro, Monica Santanna.

“É com muita alegria que recebo cá o Marcos Moreira, neto do repórter Júlio Moreira, com quem tive a honra de trabalhar. Foi com ele que aprendi tudo sobre a história de Curitiba e os caminhos do Paraná, porquê o Caminho do Itupava e o Caminho do Arraial, que por sinal é por onde passa a estrada que oriente consórcio vai governar”, disse Greca.

O prefeito presenteou Marcos Moreira com o livro de sua autoria, Curitiba Luz dos Pinhais.

Novos caminhos

A EPR assinou em janeiro deste ano, em Brasília, o contrato de licença do lote 2 de rodovias do Paraná.

O Lote 2 contempla 605 quilômetros de rodovias federais e estaduais e apresenta porquê um de seus pontos principais a conexão entre a Região Metropolitana de Curitiba, o Porto de Paranaguá, segundo maior do país em volume de exportações e um dos principais portos graneleiros da América Latina, e a região setentrião do Paraná.

O padrão de licença prevê que desde os primeiros anos de vigência dos contratos, as melhorias sejam sentidas pelos usuários.

“Nos primeiros três anos, vamos triplicar o trecho entre Curitiba e São José dos Pinhais e em sete anos faremos terceira pista em todo o trecho, de Curitiba a Paranaguá”, afirmou o diretor presidente da EPR, Marcos Moreira.

350 km de geminação

O projeto de licença prevê 350 quilômetros de obras de geminação, 138 quilômetros de faixas adicionais, 73 quilômetros de vias marginais, 72 quilômetros de ciclovias, 122 viadutos, além dos serviços de atendimento médico e mecânico aos usuários e pontos de paragem de sota para caminhoneiros.

“A geminação será feita na PR-151 no trecho entre Piraí do Sul e Sengés, passando pela rodovia 092 de Arapoti a Santo Antônio da Platina; depois segue pela PR-153, de Santo Antônio da Platina até Ourinhos, e pela PR-369, até Cornélio Procópio”, explicou o diretor executivo da EPR, Roberto Longman.

O prazo de licença é de 30 anos, com investimentos em obras e melhorias estimados em R$ 10,8 bilhões.

A EPR Litoral Pioneiro deverá assumir a gestão das rodovias em murado de 30 dias, posteriormente peroração da lanço de eficiência, de consonância com os ritos do contrato.

A concessionária conta com quatro concessões que representam mais de 2,1 milénio quilômetros de rodovias, sendo: o lote 2 do Programa de Concessões do Paraná e três concessões junto ao Governo de Minas Gerais.

 

*Créditos imagens e informações Prefeitura de Curitiba