Microchip implantado em evento de adoção da Prefeitura de Curitiba ajuda a encontrar pet perdida

Microchip implantado em evento de adoção da Prefeitura de Curitiba ajuda a encontrar pet perdida

Menos de três dias após perder a sua cadela Pipoca, Sandro Luiz Gonçalves, motorista de aplicativo de 48 anos de idade, recuperou o pet no dia 24 de novembro. O resgate aconteceu com ajuda de um microchip implantado gratuitamente nos eventos de adoção Amigo Bicho da Prefeitura de Curitiba.

“Depois de passar dois dias com a Pipoca, já tinha criado uma conexão com ela, mas ela precisava muito voltar para a sua família. O microchip foi essencial para fazer isso acontecer, e no final todos tiveram um final feliz”, conta a médica Heloize Portes, que ajudou a devolver a cachorra.

A população pode microchipar o seu pet gratuitamente nos eventos de adoção do Amigo Bicho da Prefeitura de Curitiba, e nos mutirões de castração promovidos nos bairros durante o ano. O procedimento é realizado sem o uso de anestesia geral, pois não há necessidade diante da rapidez do processo e do pequeno tamanho do microchip.

Recuperação

A cadela Pipoca, parte da família de Sandro, fugiu de casa após se assustar com o barulho da chuva e, na noite de 22 de novembro, foi encontrada pela médica integrativa Heloize Portes, de 32 anos, que a viu sozinha em frente à Rua da Cidadania do Fazendinha.

A médica então levou-a ao veterinário, que utilizou um leitor para detectar a presença de um microchip, que poderia relacionar o pet ao seu dono. Após saber quem era o responsável por Pipoca, Heloize buscou na internet até conseguir contato com a família da cachorra, e marcou o encontro para devolvê-la em segurança no dia 24 de novembro.

Ajuda da comunidade

Heloize explicou que, após identificar a família da Pipoca, buscou conseguir contato com os responsáveis. A solução encontrada por ela foi compartilhar a situação com o máximo de pessoas que conseguisse, e ficou surpresa com a ajuda.

“Depois que eu coloquei na internet, foi impressionante a quantidade de pessoas que tentaram ajudar. Até que encontrei outra pessoa que conhecia o sistema de identificação animal e acionou a Prefeitura, assim em seguida consegui falar com a família. Eles ficaram muito emocionados e aliviados que a Pipoca tinha ficado em boas mãos”, relata a médica.

O que é o microchip

O microchip é um microcircuito eletrônico contendo um código único e inalterável, que identifica o pet e o vincula ao seu responsável. Em caso de perda, ele permite que o animal seja rastreado através de uma rede de contatos, ou seja, se o seu animal desapareceu, informe imediatamente a Rede de Proteção Animal da Prefeitura.

O processo de identificação acontece por meio de um leitor. Ao receber as ondas emitidas por ele, o microchip retorna a informação na forma de um número, sem a possibilidade de duplicidade. A Prefeitura, clínicas veterinárias e estabelecimentos que comercializam animais possuem esses leitores, o que aumenta a possibilidade de identificação de animais perdidos.

“Incentivamos a população para identificarem os seus pets, participando dos eventos promovidos pela Prefeitura. Além de contribuir com a política de monitoramento da população de animais da cidade, o microchip pode ser extremamente útil nos casos de fugas ou mesmo de furtos, pois é a forma efetiva de comprovar a guarda do animal”, explica o diretor de Pesquisa e Conservação da Fauna, da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Edson Evaristo.

Microchip seu pet

Agora que você já sabe mais como funciona o microchip, cadastre seu pet no portal da Rede de Proteção Animal e caso seu pet ainda não tenha microchip, acompanhe a agenda dos eventos da Prefeitura no mesmo site para saber quando haverá eventos de microchipagem gratuita. 

Fonte: Prefeitura de Curitiba