Mutirão contra a dengue faz varredura em terrenos de duas regionais de Curitiba

Nesta semana, o Mutirão Curitiba sem Mosquito volta às regionais Tatuquara e Bairro Novo. A ação conjunta das secretarias municipais da Saúde e do Meio Envolvente procura evitar criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor das doenças dengue, zika e chikungunya.

 

Tatuquara

No Tatuquara, os agentes percorrem 20 quarteirões próximos à Unidade de Saúde Moradias da Ordem na quarta (3/4) e quinta-feira (4/4). O recolhimento dos entulhos será na sexta-feira (5/4).

Bairro Novo

O mutirão segue para a Regional Bairro Novo, onde os agentes vão percorrer 20 quarteirões próximos à Unidade de Saúde Osternack na sexta (5/4) e segunda-feira (8/4). Os caminhões de coleta vão recolher os entulhos na terça-feira (9/4).

Uma vez que funciona

Os agentes de endemia fazem uma varredura nos terrenos em procura de recipientes que possam aglomerar chuva e orientam a população a separar entulhos e lixo dos imóveis.

“A estratégia é intensificar mutirões em toda a cidade, mormente onde houver registro de casos autóctones de dengue”, afirma a secretária municipal da Saúde, Beatriz Battistella, que pede o escora da população na prevenção da doença, eliminando a chuva paragem.

Segundo a secretária, os mutirões são estratégias pontuais e de mediação diante do acúmulo de materiais em casas e quintais. Mas ela alerta que Curitiba mantém coleta regular de resíduos orgânicos, recicláveis e especiais, dando ao cidadão diversas formas de varar entulhos e materiais inservíveis.

“Além de se tornar criadouros do mosquito Aedes aegypti, esses materiais podem também atrair roedores, insetos, aranhas e outros vetores de doenças”, alerta.

Casos

De concórdia com o Painel da Dengue, atualizado na quarta-feira (27/3), a capital paranaense registrou 384 novos casos da doença.

No totalidade, Curitiba contabiliza 1.552 casos de dengue em 2024 (até o dia 22/3), sendo 1.030 importados (contaminação aconteceu fora do município) e 522 autóctones (transmissão lugar).

Orientações

Para o recolhimento do Mutirão Curitiba sem Mosquito, os moradores devem colocar os entulhos para fora do imóvel até a data da passagem dos caminhões. Resíduos menores devem ser embalados ou ensacados antes do descarte.

O mutirão vai coletar objetos inservíveis (móveis, eletrodomésticos e entulhos), materiais recicláveis (garrafas, plásticos, ferros e metais recipientes), pneus, resíduos orgânicos e sobras vegetais embalados.

Materiais com peso ou volume proeminente (uma vez que resíduos de construção social), resíduos orgânicos e sobras vegetais não embalados, resíduos tóxicos e perigosos (lâmpadas, medicamentos, pilhas e tintas) e veículos de transporte não serão recolhidos pela Prefeitura de Curitiba nesta ação.

Em 2023, os Mutirões Curitiba sem Mosquito, coordenados pela Saúde e Meio Envolvente, recolheram 348 toneladas de materiais inservíveis e entulhos nos dez Distritos Sanitários. Foram realizados 14 mutirões durante o ano.

Em 2024, já foram realizados 26 mutirões conjuntos das secretarias municipais da Saúde e do Meio Envolvente. Até o momento, as equipes recolheram 540 toneladas de resíduos, superando em mais de 190 toneladas o que foi coletado durante todo o ano de 2023.

Ecopontos

Outra selecção de descarte disponível para os curitibanos são os Ecopontos, locais destinados a resíduos mistos e recicláveis. 

Os resíduos mistos incluem materiais de construção social, madeira, sobras de podas de árvores, mobiliário inutilizável, eletroeletrônicos, óleo de cozinha e gordura usados. Veja a localização dos Ecopontos.

Os resíduos devem ser separados e depositados conforme as orientações dos funcionários do lugar. O horário de funcionamento é de segunda a sábado, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

*Créditos imagens e informações Prefeitura de Curitiba