Obras do Ligeirão Norte-Sul reforçam modelo de mobilidade ativa e sustentável em Curitiba

Obras do Ligeirão Norte-Sul reforçam modelo de mobilidade ativa e sustentável em Curitiba

O projeto e as obras que viabilizaram a conclusão do itinerário do Ligeirão Norte-Sul, estendendo-se por 7 km nas Avenidas República Argentina e Winston Churchill, desde a Praça do Japão, no bairro Água Verde, até o Terminal do Pinheirinho, transformaram a infraestrutura viária da região.

O conjunto de intervenções com pavimentação da canaleta exclusiva (alargada em alguns pontos), das vias locais, novas calçadas seguindo modelo vanguardista, moderno sistema de iluminação, paisagismo e implantação de faixa compartilhada para ciclistas impulsionaram a economia e inauguraram um novo paradigma de mobilidade ativa e segura em Curitiba.

Um total de 26 estações-tubo e seus entornos passaram por intervenções abrangentes e que beneficiaram os usuários do transporte coletivo, pedestres, ciclistas e motoristas.

As melhorias abrangeram as estações: Dom Pedro I (Água Verde), José Bettega (Capão Raso), Ouro Verde (Capão Raso), Morretes (Portão), Silva Jardim (Água verde), Hospital do Trabalhador (Novo Mundo), Vital Brasil (Portão), Carlos Dietzsch (Portão), Itajubá (Novo Mundo), Pedro Gusso (Capão Raso), Santa Regina (Capão Raso), Sebastião Paraná (Vila Izabel) e Petit Carneiro (Água Verde).

Todas as melhorias foram implementadas em ambos os sentidos e nos entornos das paradas.

“O conjunto de obras executadas teve como objetivo a melhoria da qualidade do transporte público, a requalificação do espaço urbano e o desenvolvimento nos bairros beneficiados pelas melhorias”, destacou o prefeito Rafael Greca.

Estações desalinhadas

Com o intuito de garantir a circulação eficiente dos ônibus, com paradas estratégicas, 20 estações-tubo foram desalinhadas, permitindo que o Ligeirão faça ultrapassagens nos pontos exclusivos das linhas expressas. Outras seis foram remodeladas, com alargamentos em alguns pontos, e a implantação de calçadas elevadas, formando áreas compartilhadas, onde pedestres têm prioridade sobre veículos de passeio, bicicletas e motocicletas.

Pioneirismo

O conjunto de obras foi executado em lotes e entregue à população em diferentes momentos, culminando na conclusão do trajeto de 38 km (ida e volta), conectando os terminais Santa Cândida e Pinheirinho. Essa expansão representa uma evolução do sistema de transporte coletivo no corredor Norte-Sul, originado em Curitiba em 1974.

“Em 1974, o eixo Norte-Sul inaugurou o funcionamento dos ônibus expressos em Curitiba, tornando a cidade pioneira no Brasil e uma das primeiras no mundo a possuir uma pista exclusiva para o transporte público. No cinquentenário dessa conquista, o plano se renova com os biarticulados ligeirões circulando do Santa Cândida ao Pinheirinho”, observa o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Luiz Fernando Jamur.

Projeto e Investimento

Originado a partir do projeto do Ippuc, as obras foram coordenadas pela Secretaria Municipal de Obras Públicas (Smop), com um investimento total de R$ 39,4 milhões provenientes do tesouro municipal. Iniciadas em agosto de 2020, durante a pandemia do coronavírus, os lotes de obras foram entregues em diferentes fases, reativando as estações-tubo nos trechos concluídos, com a primeira delas, a estação Ouro Verde, inaugurada em junho de 2021.

O secretário municipal de Obras Públicas, Rodrigo Araújo Rodrigues, enfatiza os desafios superados pelo município ao longo desse período desafiador. “Os primeiros trechos foram iniciados em meio à pandemia do coronavírus, impondo à gestão pública desafios consideráveis, como desabastecimento de insumos e longos períodos de chuvas intensas”.

Outro aspecto, ressaltou Rodrigues, foi a necessidade de relicitar trechos, ajustar planilhas orçamentárias, detalhes de projeto e executar as obras sem paralisar o transporte coletivo. “As intervenções foram executadas garantindo a circulação dos ônibus, permitindo a locomoção segura das pessoas, com aplicação e desvios e bloqueios temporários de trânsito planejados e calculados rigorosamente para impactar minimamente na população”, destacou Rodrigues.

As obras no entorno das paradas do transporte coletivo foram executadas de forma escalonada, evitando impactos no uso sequencial das estações-tubo, o que poderia prejudicar os passageiros. A execução de duas estações sequenciais daria maior agilidade aos serviços, mas para priorizar a garantia do transporte público de qualidade ao cidadão, enquanto uma estava em obra a anterior e posterior precisavam se manter em funcionamento. 

Certificação Greenroads®

O investimento da Prefeitura de Curitiba nas obras nas Avenidas República Argentina e Winston Churchill corresponde à contrapartida municipal para futuras obras do Eixo Leste-Oeste, financiadas pelo New Development Bank (NDB). O projeto adere à Certificação Greenroads®, um dos requisitos de sustentabilidade previstos no contrato de financiamento do NDB. A Greenroads International é uma corporação independente sem fins lucrativos que promove educação e iniciativas de sustentabilidade para infraestrutura de transporte.

Novo pavimento

O conjunto de obras nas duas avenidas incluiu a requalificação da pavimentação da canaleta exclusiva e das vias locais. Trechos da canaleta foram alargados e receberam novo pavimento em concreto, enquanto nas vias lentas, a manutenção do asfalto ocorreu por meio da técnica de fresagem e recapeamento, restaurando as condições das pistas.

Foram requalificados 61,6 km de pavimento incluindo a canaleta exclusiva do transporte e a vias locais das Avenidas República Argentina e Winston Churchill e mais de 23,7 km de calçadas. As obras de pavimentação foram executadas sob a coordenação da Secretaria Municipal de Obras Públicas (Smop) e Secretaria do Governo Municipal (SGM).

Vias compartilhadas

As vias compartilhadas colocam o pedestre em destaque, priorizando o transporte coletivo sobre o individual, e incentivam o deslocamento conjunto com carros, bicicletas e motocicletas. A requalificação no entorno das estações Silva Jardim, Carlos Dietzsch, Itajubá e Pedro Gusso, com ruas elevadas minimamente segregadas, induz a esse novo comportamento.

LIGEIRÃO NORTE-SUL EM NÚMEROS 

  • Intervenções em 26 estações-tubo remodeladas e desalinhadas, em lotes de obras.
  • 7 km de obras, nas Avenidas República Argentina e Winston Churchill, desde a Praça do Japão e o Terminal Pinheirinho. Com isso o trajeto de 38 km (ida e volta) do Ligeirão Norte Sul ficou completo.
  • 61,6 km de asfalto novo (canaleta exclusiva do transporte e vias locais das Avenidas República Argentina e Winston Churchill).
  • 23,7 km de calçadas.
  • Intervenções nas estações-tubo Dom Pedro I (Água Verde), José Bettega (Capão Raso), Ouro Verde (Capão Raso), Morretes (Portão), Silva Jardim (Água verde), Hospital do Trabalhador (Novo Mundo), Vital Brasil (Portão), Carlos Dietzsch (Portão), Itajubá (Novo Mundo), Pedro Gusso (Capão Raso), Santa Regina (Capão Raso), Sebastião Paraná (Vila Izabel) e Petit Carneiro (Água Verde).
  • Redução do tempo de deslocamento de 15 minutos para os passageiros que fazem o trajeto de ida e volta, podendo ser realizado em até 100 minutos, representando uma diminuição de 15% em comparação com as linhas paradoras.
  • Benefício para 35 mil passageiros nos dias úteis.
  • Investimento total de R$ 39,4 milhões.

Fonte: Prefeitura de Curitiba