Pela filha, funileiro larga o cigarro com apoio de equipe da Saúde

Pela filha, funileiro larga o cigarro com apoio de equipe da Saúde

 

Uma úlcera levou o funileiro Gerson de Souza, 33 anos, à mesa de cirurgia em julho deste ano e o fez pensar que estava mais que na hora de parar de fumar. Após a alta, ele reduziu o número de cigarros por dia de 40 para 28, mas a meta só engrenou mesmo quando buscou o apoio da Unidade de Saúde Vila Esperança, no Atuba.

Com suporte do Programa do Controle do Tabagismo, ofertado pela Secretaria Municipal da Saúde, Souza programou a data para parar de fumar, o Dia dos Pais, em 13 de agosto deste ano.

A data foi escolhida pelo simbolismo: como pai, a determinação de tirar o cigarro da vida é para dar bom exemplo para a filha de 7 anos.

A decisão veio após 13 anos de muitas tragadas e tem tido êxito. Com o suporte de profissionais da Saúde que o acompanham nessa jornada, diz se sentir confiante para seguir na decisão, mesmo ainda passando pelos desafios das primeiras semanas de embate com o vício, em que tanto a dependência química quanto a psicológica do cigarro desafiam o ex-fumante.

“Tem sido muito importante ter o apoio deste grupo, fica bem mais fácil. Depois da primeira reunião, vi que é possível parar de fumar. Eles me explicaram como o cigarro vicia, falam como são as dificuldades de parar, quais técnicas usar quando der vontade de tragar. Entendi que estou em um desafio a longo prazo”, diz Souza.

 

Controle do Tabagismo

O tabagismo é uma doença que causa e agrava muitas outras doenças, por isso, é essencial que as pessoas que fumam tenham onde buscar suporte para deixar o vício. Nos últimos dez anos, 173 mil pessoas deixaram de fumar em Curitiba.

O Programa de Controle do Tabagismo da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) apoia as pessoas que, assim como Gerson, desejam largar o cigarro. Para participar, basta que o fumante dê o primeiro passo: procure por essa ajuda na sua Unidade de Saúde de referência. 

Como funciona 

O Programa de Controle do Tabagismo é ofertado gratuitamente. Os interessados em participar devem procurar sua unidade de saúde de referência.

Nesse primeiro contato, um profissional de saúde questiona e avalia os hábitos de fumo da pessoa e agenda um atendimento individual, com profissional capacitado, para avaliar o grau de dependência e traçar um plano de trabalho personalizado.

A pessoa é encaminhada a um dos Grupos de Controle do Tabagismo, ofertados nas unidades de saúde do município. Durante os encontros, são abordados comportamentos, pensamentos e sentimentos que são obstáculos para os participantes permanecerem sem o cigarro.

“Em uma das reuniões, calcularam quanto cada um de nós já gastou, em média, com cigarro. Teve um senhor que a conta deu mais de R$ 2 milhões. No meu caso, deu mais de R$ 200 mil nesses 13 anos. Doeu no bolso. Agora, é pensar em saúde”, conta o funileiro. 

Benefícios

Os benefícios de deixar o cigarro aparecem já nos primeiros dias: no primeiro, os pulmões passam a funcionar melhor; dois dias depois, o olfato e o paladar melhoram. E após um ano sem fumar, o risco de morte por infarto é reduzido à metade.

Incentivar o máximo de pessoas a parar de fumar é fundamental também para a gestão da saúde pública, porque o tabagismo é responsável por uma série de doenças crônicas que podem ser evitadas. 

 

Fonte: Prefeitura de Curitiba