PGM apresenta motivos pelos quais é preciso inovar no serviço público

A Procuradoria-Universal do Município (PGM) de Curitiba esteve no núcleo da Smart Plaza Vale do Pinhão, espaço transcendente do Smart City Expo Curitiba 2024, nesta quinta-feira (21/3). As procuradoras Patrícia Ferreira Pomoceno e Cintia Estefânia Fernandes apresentaram ao público que estava no evento algumas das iniciativas da PGM voltadas à inovação.

Pomoceno desafiou a plateia com reflexões sobre os motivos pelos quais é preciso inovar no serviço público. Ela destacou que a PGM tem feito muitos projetos voltados à inovação que trazem resultado, uma vez que os de automação de processos repetitivos e que resultam na elevação da arrecadação e consequente disponibilidade de recursos para o desenvolvimento dos programas que atendem a população.

Ela explicou que o uso da perceptibilidade sintético, desde 2020, foi importante para a Procuradoria. E ressaltou o papel do programa PGM: Rumo à inovação, realizado a partir de 2023, com a participação de servidores. “É preciso uma transformação cultural para que possamos inovar”, disse.

Ela também falou da Sociedade 5.0, proposta japonesa que defende o uso da tecnologia com foco no ser humano. De tratado com a procuradora, Curitiba tende a evoluir de uma smart city para uma cidade que aplica esse concepção.

Reforma tributária

Já a procuradora Cintia Estefânia Fernandes explorou os impactos da reforma tributária nas cidades inteligentes. Dentre eles, a prestígio da justiça tributária e da resguardo do meio envolvente. Ela destacou que Curitiba já conta com o IPTU virente.

Fernandes apontou que o progresso de plataformas e de sistemas de informações possibilitarão o desenvolvimento de cidades mais inteligentes. E exemplificou afirmando que, além da taxa para iluminação pública, outros serviços poderiam ser abrangidos uma vez que o de segurança e o de manutenção de logradouros públicos.

Ela lembrou que, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), as cidades inteligentes devem desenvolver a tecnologia da informação e informação para proporcionar qualidade de vida aos cidadãos em termos econômicos, sociais e ambientais.

A procuradora acentuou a prestígio de ser um processo social, uma vez que defende o prefeito de Curitiba, Rafael Greca.

*Créditos imagens e informações Prefeitura de Curitiba