Prefeitura de Curitiba amplia ações de enfrentamento à violência contra as mulheres

Prefeitura de Curitiba amplia ações de enfrentamento à violência contra as mulheres

Por meio da Assessoria de Políticas para Mulheres, a Prefeitura de Curitiba reforça seu compromisso em investir na oferta de serviços para combater a violência contra mulheres, buscando construir uma sociedade mais justa e igualitária. 

A comunidade de Curitiba, por meio da Consulta Pública do Fala Curitiba, destacou a necessidade de ações específicas nas Regionais Portão, CIC e Tatuquara para enfrentar as violências contra mulheres, indicando prioridades claras. Em resposta a essa demanda, a Assessoria de Direitos Humanos – Política para Mulheres está realizando uma série de ações, incluindo a presença do Ônibus Lilás em áreas estratégicas.

Nesta quinta-feira (30/11), a Rua da Cidadania do Cajuru recebeu, das 14h às 16h30, atendimento especializado às mulheres que buscavam informações sobre seus direitos e queriam conhecer os canais de denúncias em casos de violência. O Ônibus Lilás tem salas de atendimento, o que proporciona ambiente seguro e privativo para dar as orientações necessárias.

“Este é mais um passo significativo em direção à construção de uma cidade onde todas as mulheres se sintam seguras e respeitadas”, comentou Renata Carneiro, Assessoria de Políticas para as Mulheres.

A professora Aridina de Liz dos Santos foi conhecer o Ônibus Lilás e achou de extrema importância o trabalho de conscientização e escuta realizado pela Assessoria. “Quando a mulher conta o que está acontecendo, ao se escutar ela percebe e entende melhor o que está passando e isso pode ser o primeiro passo para o início de uma denúncia”, explica.

Simone Pujol é diretora em uma escola municipal e conta que não conhecia o Ônibus Lilás. Adorou a iniciativa e disse que agora será uma replicadora da iniciativa, alertando outras mulheres a procurarem os seus direitos.

“Muitas mulheres não têm as informações necessárias para romper um ciclo de violência, por isso esse trabalho é tão importante. Agora estarei mais atenta e poderei direcionar as mães dos alunos que precisarem”, salienta Simone.

O ex-jogador de futebol do Athletico Paranaense Joel Raimundo da Silva estava passando pelo local e parou para ouvir as orientações de combate à violência contra as mulheres. Apoiou a iniciativa e reforça que os homens precisam respeitar todas as mulheres.

“A violência vem da falta de respeito, os homens precisam respeitar todas as mulheres, sejam elas mães, filhas, amigas ou desconhecidas”, declara Joel.

Prevenção 

No Brasil, a violência contra mulheres se manifesta de maneiras diversas, influenciada pelo contexto geográfico e condições sociais, raciais, de identidade de gênero, crença, religião, orientação sexual, idade e deficiência. Para combater essa realidade, estão em curso diversas ações referentes aos 21 dias de ativismo pela eliminação da violência contra meninas e mulheres. 

As atividades iniciaram no dia 20 de novembro, data que coincide com o Dia da Consciência Negra, mas o dia oficial dos 21 dias de ativismo é 25 de novembro, Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra Mulheres, marcado pela trágica história das irmãs Minerva, Maria Teresa e Patría Mirabal, assassinadas em 1961, na República Dominicana. 

A mobilização se estende até 10 de dezembro, o Dia dos Direitos Humanos. No contexto brasileiro, a ampliação para 21 dias visa alinhar-se ao Dia da Consciência Negra, reforçando a urgência de combater as diversas formas de violência enfrentadas por mulheres.

Próximas ações do Ônibus Lilás

Data: 3/12

Horário: 9h às 12h

Local: Feira do Largo da Ordem

Data: 4/12

Horário: 14h às 16h30

Local: Escritório Elo – Caximba

Fonte: Prefeitura de Curitiba