Prefeitura de Curitiba instala 1.200 novas placas nas ciclovias e aumenta a segurança no trânsito

Prefeitura de Curitiba instala 1.200 novas placas nas ciclovias e aumenta a segurança no trânsito

As ciclovias de Curitiba estão recebendo novidade sinalização. A Prefeitura está instalando 1.200 placas que compõem 600 totens, destinados a facilitar a compreensão e organização das estruturas cicloviárias para as pessoas que circulam pela cidade, promovendo, assim, uma maior segurança no trânsito.

O trabalho está sendo feito pela Superintendência de Trânsito (Setran) e o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc)

A mediação está alinhada ao compromisso da Prefeitura de zelar pela mobilidade urbana, a qualidade de vida das pessoas e o desenvolvimento dos bairros.

Além de apresentarem uma linguagem visual mais conseguível, as novas sinalizações são mais leves, de fácil manutenção e mais alinhadas com as demais placas de trânsito. Com essas características aprimoradas, os cidadãos conseguem compreender melhor porquê se comportar dentro da estrutura cicloviária.

“Essas placas auxiliam, por exemplo, na tomada de decisões para que o ciclista possa entender a rota apropriada a seguir. Isso, por sua vez, melhora tanto a segurança quanto a organização do trânsito porquê um todo”, afirma a superintendente de Trânsito, Rosângela Battistella.


Novidade identidade visual

O projeto contempla a implementação gradual dos totens em toda a rede cicloviária da cidade. Os locais de instalação e o design das placas foram definidos pelo Ippuc, enquanto a instalação dos totens é de responsabilidade da Setran.

“A geração da novidade identidade visual cicloviária evidencia a presença dos ciclistas no meio urbano, orienta seus fluxos e ressalta a premência de saudação aos pedestres quando a estrutura está sobre a passeio. A implantação dos totens em uma profundeza mais baixa está alinhada com o ponto de vista do ciclista, garantindo sua visualização”, explicou a coordenadora do Projecto de Estrutura Cicloviária no Ippuc, Camila Muzzillo.

Uma vez que funciona

Cada sítio que recebe um totem foi meticulosamente estudado para receber uma sinalização específica. Pedestres, ciclistas e motoristas conseguem compreender melhor porquê ocorre o fluxo de bicicletas na região em que transitam.

“Cada totem foi cuidadosamente planejado para o sítio em que está posicionado, não unicamente em relação ao eixo cicloviário, mas também em relação ao interceptação próximo. Dessa forma, todos ficam melhor orientados quanto ao tráfico na dimensão em que circulam”, explica Gustavo Garrett, gerente de Programas de Segurança Viária da Setran.

Os totens possuem duas faces com informações distintas para quem passa por eles. A face voltada para quem inicia o trecho cicloviário apresenta os sinais de regulamentação daquele eixo, enquanto a face direcionada para quem está finalizando o trecho oferece orientações sobre porquê prosseguir para o próximo eixo, realizar conversões, entre outras informações.

Rubia Yamamoto, moradora de Santa Felicidade, conta que já havia reparado na novidade sinalização e acredita que as placas de sinalização são importantes para organizar melhor os espaços, principalmente os compartilhados.

“Nos espaços compartilhados, aumenta a responsabilidade do usuário, que precisa estar mais sengo à sinalização e em relação ao outro”, opina a moradora, que costuma utilizar o passeio compartilhado na Avenida Cândido Hartmann.

Locais de instalação

Até o momento, as novas sinalizações estão sendo instaladas nos seguintes eixos cicloviários: Fredolin Wolf, Eduardo Pinto da Rocha, João Bettega, Rio Belém/Mariano Torres/Mentor Laurindo, Avenida da Integração, Dr. Alexandre Gutierrez, Cândido Hartmann, Getúlio Vargas, Dr. Dário Lopes dos Santos/Engenheiro Ostoja Roguski, Engenheiros Rebouças/Alferes Poli, Sete de Setembro, Iguaçu e Flávio Dallegrave.

Rede cicloviária

Desde 2017, a capital paranaense recebeu mais 72,9 km de rede cicloviária, totalizando atualmente 283,3 km, incluindo ciclovias, ciclofaixas, ciclorrotas e vias compartilhadas.

*Créditos imagens e informações Prefeitura de Curitiba