Prefeitura recolhe oito caminhões de lixo em ação contra a dengue no Capão Raso

Prefeitura recolhe oito caminhões de lixo em ação contra a dengue no Capão Raso

 

Moradores do bairro Capão Raso estão recebendo nesta semana mais uma etapa do mutirão Curitiba sem Mosquito de 2022. A ação é integrada pelas secretarias municipais da Saúde e do Meio Ambiente, além das equipes do Distrito Sanitário da Regional Pinheirinho, para evitar criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor das doenças dengue, zyka e chikungunya.

O trabalho foi concentrado no entorno da Unidade de Saúde Ipiranga. De acordo com Carla Nadalin, coordenadora da Vigilância em Saúde do Distrito Sanitário Pinheirinho, na semana passada uma equipe de mais de 20 pessoas percorreu as casas de 40 quarteirões da área para orientar os moradores sobre os cuidados para prevenir criadouros do mosquito. 

Limpeza no quintal

As equipes fazem as orientações e entregam um folheto explicando que o caminhão da limpeza pública passará para recolher materiais inservíveis. 

“Nessas ações, quando encontramos um criadouro pequeno já fazemos a remoção na hora. Quando achamos um criadouro maior, usamos larvicida”, explicou Carla Nadalin.

Segunda-feira (15/8) e terça-feira (16/8), a limpeza pública recolheu oito caminhões carregados de lixo na região. A população pode e deve continuar descartando resíduos que viram berçários do mosquito quando são abandonados nos quintais nos dias da coleta rotineira de lixo.

População precisa colaborar

Mutirões de limpeza como este são constantes em Curitiba com a finalidade de combater os focos de dengue no município. Mas a coordenadora do programa municipal de Controle do Aedes, Tatiana Faraco, reitera que para manter os 432 km² de áreas urbanas e terrenos de Curitiba livres do mosquito é fundamental o apoio da população.

“O cuidado tem que ser o ano todo. Antes, estas ações eram intensificadas nos períodos mais quentes, mas observamos que o mosquito Aedes aegypti já se adaptou e a proliferação acontece mesmo com o clima mais frio”, alertou Tatiane. 

Ela destacou a importância de que cada cidadão faça a sua parte, já que 69% dos focos positivos do mosquito da dengue são encontrados nas residências.

Trabalho constante

Como ação complementar aos mutirões, os agentes de endemias percorrem diariamente locais da cidade para realizar ações preventivas e de bloqueio da dengue. As equipes atendem denúncias pelo 156 e fazem todas as ações educativas, em múltiplos espaços, como shoppings, unidades de saúde, escolas.

“Aqui na Regional Pinheirinho nós temos em torno de 70 pontos estratégicos, em forma de fábricas abandonadas, recicladores e ferros-velhos”, explicou Carla Nadalin.

A equipe faz a inspeção quinzenal nesses locais e quando encontra os criadouros faz a remoção com a presença do proprietário.

“Quando um foco é encontrado, a larva é recolhida para análise. Se der positivo, é feito um bloqueio num raio de 300 metros deste local”, disse Carla. 

Criadouro na lata de tinta

A mensagem mais importante que é passada pelos agentes de combate a endemias para a população é de que o mosquito da dengue está nas nossas casas, no vizinho, no pratinho de planta, na lona plástica, em cisternas, na bandeja da geladeira ou no copinho no quintal. 

“Não dá para deixar água parada mesmo. Para se ter uma ideia de como o aedes é resistente, tivemos um caso de foco positivo do mosquito em lata de tinta com restos de tinta”, citou. 


Ação educativa

Por isso não dá para baixar a guarda com o mosquito. Neste sábado (20/8), as equipes de combate à dengue da Regional Pinheirinho farão uma ação na educativa na Igreja Comunidade Alcance, das 9h às 15h. Serão repassadas informações de como combater focos de mosquito, além de distribuição de material de alerta contra a dengue.

 

Fonte: Prefeitura de Curitiba