Saúde de Curitiba abre campanha da vacinação contra a gripe nesta segunda-feira

Saúde de Curitiba abre campanha da vacinação contra a gripe na segunda-feira

Curitiba abre nesta segunda-feira-feira (25/3) a campanha de vacinação contra a gripe de 2024. Estão convocados, neste primeiro momento, crianças de 6 meses a 2 anos, 11 meses e 29 dias e trabalhadores da saúde da rede municipal. 

Para as crianças convocadas, a vacina estará disponível em 103 unidades de saúde. Confira os endereços e horário de funcionamento no site Imuniza Já Curitiba.

Os trabalhadores da Saúde da rede municipal receberão as vacinas diretamente nos locais de trabalho a partir desta segunda-feira.

A partir de quarta-feira (27/3), a convocação será ampliada para os trabalhadores da Saúde autônomos ou que atuem em hospitais e outros estabelecimentos. Eles receberão a ração no Conselho Regional de Enfermagem do Paraná (Coren-PR), na Rua Professor João Argemiro Loyola, 74, no Seminário. A vacinação para trabalhadores da Saúde, no Coren, será realizada das 8h às 12h e das 13h às 17h.  

Esses primeiros públicos convocados somam 78.728 pessoas, segundo projeção do Ministério da Saúde.

A Prefeitura de Curitiba recebeu da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) uma primeira remessa 66.000 doses, que serão aplicadas até o término dos estoques. O município aguarda o envio de novidade remessa do imunizante pela Sesa.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba informa que os demais grupos prioritários serão chamados posteriormente, depois o recebimento de novas doses.

A vacina contra a gripe oferecida pelo SUS é trivalente e protege contra a cepa da influenza B, influenza A H1N1 e influenza A H3N2. A vacina é contraindicada para menores de 6 meses e também para pessoas que tiveram reação anafilática grave em doses anteriores.

Orientações para vacinação

Para se vacinar, é preciso apresentar documento de identificação. E no caso dos trabalhadores da Saúde é preciso também documentação que comprove a sua situação de inclusão neste grupo prioritário.

Para os pais e responsáveis, a SMS orienta que, na medida do provável, evitem buscar a vacinação para as crianças nas unidades mais centrais, do qual movimento é maior, e priorize as demais. A SMS também orienta que os usuários cheguem com pelo menos 15 minutos de antecedência antes de horário de fechamento da unidade de saúde, para realizar qualquer vacina.

Crianças

Para as crianças convocadas que forem vacinadas pela primeira vez contra influenza, deve-se considerar o esquema de duas doses, com pausa de 30 dias entre elas. As demais crianças, que receberam ao menos uma ração da vacina contra influenza em anos anteriores, devem receber somente uma ração em 2024.

Os pais também poderão aproveitar a oportunidade para realizar vacinas de rotina dos filhos que estejam em tardada e colocar em dia a situação vacinal das crianças que ainda não foram completamente imunizadas contra a covid-19.

O esquema vacinal atual contra a covid-19 para as crianças até 4 anos, 11 meses e 29 dias prevê a emprego de três doses (aos 6 meses, 7 meses e aos 9 meses). Desde de janeiro de 2024, inclusive, a vacina anticovid passou a fazer segmento do calendário fundamental infantil obrigatório.  

“A cobertura da vacinação contra a covid-19 em crianças está baixa. Esta é uma ótima oportunidade de colocar em dia a carteira, protegendo nossos curitibinhas da gripe, covid-19 e demais doenças”, diz a secretária municipal da Saúde de Curitiba, Beatriz Battistella.

Trabalhadores da Saúde

De entendimento com o Ministério da Saúde, são considerados trabalhadores da saúde aqueles que atuam em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância à saúde, sejam eles hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios e outros locais.

Assim, nascente grupo compreende: médicos; enfermeiros; nutricionistas; fisioterapeutas; terapeutas ocupacionais; biólogos, biomédicos; farmacêuticos; odontologistas; fonoaudiólogos; psicólogos; assistentes sociais; profissionais de instrução física; médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares; além de trabalhadores de escora, uma vez que recepcionistas, seguranças, pessoal da limpeza, cozinheiros e auxiliares, motoristas de ambulâncias.

Incluem-se, ainda, aqueles profissionais que atuam em cuidados domiciliares, uma vez que os cuidadores de idosos e doulas/parteiras. A vacina também será ofertada aos estudantes da superfície da saúde que estiverem prestando atendimento na assistência dos serviços de saúde.

Além da vacinação contra influenza, será disponibilizado aos trabalhadores da Saúde o reforço anual de 2024 da vacina anticovid, para aqueles que ainda não receberam ainda.

“Nossa expectativa é que os trabalhadores da saúde deem o exemplo e façam uma grande adesão à vacinação. Precisamos dos nossos trabalhadores fortes e saudáveis para cuidar da saúde de todos os curitibanos”, afirma a secretária.

Acamados

O imunizante contra a gripe também começará a ser aplicado, gradualmente, neste primeiro momento, diretamente nas residências dos acamados.

Idosos acamados que são acompanhados pelo SUS ou já receberam anteriormente a vacina nesta requisito devem esperar a visitante de uma equipe das unidades de saúde. Já os acamados que não são acompanhados pelo SUS devem indicar a requisito pelo aplicativo Saúde Já Curitiba. Na tela inicial, basta clicar na aba “Paciente Acamado” e selecionar o paciente indicado.

Demais públicos

Além dos públicos convocados neste primeiro momento, fazem segmento dos grupos prioritários previstos pelo Ministério da Saúde, para a campanha de vacinação contra a gripe: crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas com 60 anos ou mais, gestantes, puérperas (mulheres que tiveram fruto até 45 dias), professores do ensino fundamental e superior, indígenas, pessoas em situação de rua, profissionais da força de segurança e salvamento, profissionais das formas armadas, pessoas com doenças crônicas, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo, trabalhadores portuários, população privada de liberdade e funcionários do sistema de privação de liberdade.

Ao todo, fazem segmento do público prioritário na capital paranaense 665 milénio pessoas. De entendimento com a SMS, esses grupos serão convocados gradualmente e de forma escalonada, na medida em que forem sendo disponibilizadas novas doses à Curitiba pela Secretaria de Estado da Saúde.

*Créditos imagens e informações Prefeitura de Curitiba