Saúde de Curitiba convoca a população a vistoriar moradia e quintais no combate à dengue

Saúde de Curitiba convoca a população a vistoriar casa e quintais no combate à dengue

Além de aproveitar o tempo livre em atividades de lazer, essenciais para manter saúde física e mental, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba pede à população que reserve secção do término de semana para o combate à dengue em moradia. O lembrete da tarefa foi enviado a todos os usuários que têm o aplicativo Saúde Já Curitiba, com o check list da Dengue.

“Com somente 10 minutos por semana é verosímil varar possíveis criadouros do mosquito transmissor da dengue. Vamos unir a família e a comunidade nessa função. Se cada um fizer sua secção, todos saímos vitoriosos”, diz a secretária municipal da Saúde, Beatriz Battistella.

A vistoria semanal em procura de recipientes que podem aglomerar chuva e se tornarem criadouros é a melhor forma de combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Isso porque o ciclo de reprodução, entre ovo, larva e mosquito alado, é de tapume de sete dias. A requisito climática também favorece a reprodução do mosquito. Dias quentes e com grande volume de chuva são o envolvente ideal para a proliferação.

“É preciso um olhar melindroso, porque a fêmea do mosquito põe seus ovos em vários recipientes, desde um objeto pequeno esquecido no jardim, escondido nas folhagens, até grandes reservatórios de chuva, porquê coletores de chuva da chuva”, exemplifica a coordenadora do programa municipal de combate ao Aedes, Tatiana Faraco.

Para ajudar nessa vistoria, a SMS preparou um check list com orientações de onde procurar os possíveis criadouros do Aedes aegypti.

Veja se você está fazendo o evidente em sua residência

  1. Lixeiras: mantenha as lixeiras tampadas e protegidas das chuvas. E lembre-se de fechar muito o saco plástico.
  2. Garrafas: mantenha as garrafas guardadas sem chuva e com a boca para insignificante. Ah, jogue as tampinhas no lixo reciclável.
  3. Baldes: mantenha os baldes e bacias virados para insignificante.
  4. Caixa d’chuva: Zero de chuva ao relento. Mantenha as caixas d’chuva com tampa.
  5. Pneu: além de prejudicar o meio envolvente, pode virar um foco do mosquito. Guarde os pneus secos em sítio vestido.
  6. Vasos: os pratinhos dos vasos devem estar limpos e secos ou coloque areia até a borda.
  7. Pote de ração: lave os potinhos de seu pet ao menos duas vezes por semana.
  8. Piscina: mantenha as bordas das piscinas limpas e a chuva devidamente tratada com cloro.

Preste atenção também em outros recipientes que podem se tornar criadouros do mosquito

  • O hábito saudável de aglomerar chuva da chuva em tonéis, bombonas, caixas d’chuva ou qualquer reservatório ao nível do solo se tornou também um potencial berçário dos mosquitos. Para evitar que sejam “maternidade” do Aedes, esses reservatórios precisam ser vedados com telas que não permitam a passagem da fêmea em procura de sítio para colocar seus ovos. Todas as aberturas do recipiente precisam ser vedadas, porque o mosquito é muito pequeno e pode facilmente entrar e transpor dele.

     
  • O pote de chuva dos animais precisa ser frequentemente lavado com esponja e sabão e não somente completar com chuva. Também é necessário verificar o bebedouro de passarinhos, que geralmente é deixado em árvores no quintal. A buraco do recipiente é suficiente para o mosquito depositar os ovos.

     
  • Os brinquedos das crianças devem ser guardados em locais secos e protegidos da chuva. É geral um brinquedo esquecido no quintal aglomerar chuva. Também é necessário lavá-los com esponja e sabão para varar possíveis ovos depositados nas bordas.

     
  • Baldes, potes, pneus, garrafas devem ser guardados em locais protegidos da chuva. Se não forem mais usados, devem ser descartados adequadamente.

     
  • Piscinas precisam ter a chuva tratada e as bordas lavadas com esponja e sabão ou com produtos próprios para esse término, inclusive as de plástico, que muitas vezes são esquecidas no fundo do quintal.

     
  • Sobras de construção, telhas, entre outros materiais inservíveis também precisam estar protegidos da chuva da chuva ou descartados adequadamente.

     
  • Todo lixo deve ser embalado e descartado adequadamente. As lixeiras precisam estar tampadas e também é necessário lavar a tampa, que pode aglomerar chuva.

     
  • Os vasos de vegetais também devem estar livres de pratinhos para reter a chuva da rega. Na extensão externa, os vasos não precisam dos pratinhos. Dentro de moradia, os pratinhos devem ser preenchidos com areia até a borda, para evitar o acúmulo de chuva.

     
  • Também é preciso atenção dentro de moradia. Em algumas geladeiras, a bandeja de degelo, que fica na secção de trás, perto do motor, é um verdadeiro paraíso para os mosquitos: escondido, com calor e chuva. É preciso verificar semanalmente se acumula chuva e lavar com esponja e sabão.

     
  • Os aparelhos de ar condicionado, refrigerador portátil e ventiladores que têm recipientes com chuva também precisam de atenção e limpeza periódica.

     

*Créditos imagens e informações Prefeitura de Curitiba