Desabamento culpa três mortes em Petrópolis, no RJ

Justiça absolve PMs envolvidos em caso de mulher arrastada por viatura

O desabamento de uma fundação no bairro Independência, em Petrópolis, Região Serrana do Rio, deixou três pessoas mortas e duas desaparecidas, segundo o Governo do Estado do Rio de Janeiro e a Prefeitura Petrópolis. A Resguardo Social do município, em balanço divulgado às 19h45, informa que 15º Grupamento do Corpo de Bombeiros (GBM) conseguiu resgatar quatro vítimas com vida.

O município informa que, até as 19h45 desta sexta-feira (22), foram 109 registros de ocorrências por conta da chuva potente que cai na cidade desde ontem (21), sendo 75 deslizamentos. 

De convenção com o Núcleo Vernáculo de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), foram registrados acumulados de 196 mm em 12h, quase o valor previsto para 24h de chuva.

Houve ocorrências de deslizamentos que atingiram imóveis e vias nos bairros Araras, Independência, São Sebastião, Itamarati, Quitandinha, Estrada da Saudade, Castelanea, Retiro, Núcleo, Valparaíso, Duarte da Silveira, Itaipava, Roseiral. Com o grande volume de chuva, o chegada a Petrópolis foi interditado na BR-040 e várias ruas ficaram alagadas. Rios Quintandinha e Piabanha transbordaram.

Estágio de crise

O município informou que se encontra em estágio de crise, o mais grave em sua graduação de estágios operacionais. A prefeitura disponibilizou 67 pontos de espeque para onde pessoas que se sentem inseguras em suas casas ou que moram em áreas de risco possam permanecer em segurança até a chuva diminuir. Sirenes foram acionadas pela Resguardo Social em áreas de maior ocorrência de chuvas, onde rios transbordaram, porquê na Rua do Imperador e na Rua Coronel Veiga. Nos locais, foram acionados sistemas de cancela. As áreas só serão liberadas quando for provável o trânsito.

A previsão para as próximas horas na cidade é de firmamento nublado a encoberto com chuva de moderada a muito potente. O estágio operacional é de alerta. A Resguardo Social recomenda que a população das áreas de risco se mantenha em alerta, e principalmente, que não permaneça em áreas interditadas. ”Evite áreas alagadas e fique vigilante aos sinais de deslizamentos. Em caso de emergência, ligue 199”, orientou.

Nascente: Escritório Brasil