Geoparque de Uberaba, em Minas, obtém reconhecimento da Unesco

Geoparque de Uberaba, em Minas, obtém reconhecimento da Unesco

O geoparque de Uberaba, publicado porquê Terreno dos Gigantes, no Triângulo Mineiro, foi reconhecido porquê geoparque mundial pela Organização das Nações Unidas para a Ensino, a Ciência e a Cultura (Unesco). A imensa dimensão coleciona objetos de pesquisa na dimensão de paleontologia e geologia. Com a novo título, o Brasil passa a ter seis geoparques reconhecidos mundialmente.

Geoparques são áreas geográfica delimitadas que têm patrimônio geológico de relevância internacional. A gestão desses territórios tem o objetivo de proteger os patrimônios naturais, históricos e culturais, além de promover a ensino, o turismo e o desenvolvimento sustentável.

Nessa terça-feira (27), a Unesco reconheceu 18 novos desses parques, que somam agora 213 em 48 países. A chancela do órgão da ONU foi obtida com base em estudos feitos pelo Serviço Geológico do Brasil (SGB), iniciados em 2012.

Dinossauros

O Geoparque de Uberaba se expande por 4.523,957 quilômetros quadrados, que abrange todo o município mineiro. Na região, já foram encontrados fósseis, dentes, ovos e ninhadas de dinossauros do período Cretáceo Superior – estimado entre 80 milhões e 66 milhões de anos detrás.

Um dos destaques entre os achados são os ossos do Uberabatitan ribeiroi, o maior dinossauro já desvelado no Brasil e um dos últimos titanossauros (do latim lagarto titânico) do planeta, com 27 metros de comprimento e 14 metros de profundeza.

Segundo o SGB, na dimensão também foram descobertos fósseis de grandes carnívoros terópodes, porquê o Abelissauro (Abelisaurus comahuensis), com muro de oito metros de profundeza, além de crocodilomorfos, porquê o Uberabasuchus terrificus, expostos no Museu dos Dinossauros de Peirópolis – que fica no Geoparque Uberaba.

“O diferencial desse geoparque e sua relevância geocientífica se devem aos fósseis de dinossauros e de outras espécies que foram descobertos no lugar. Existem geossítios de interesse paleontológico, que podem ser visitados e precisam ser geoconservados, pois foram locais de descobertas de fósseis e podem ainda revelar novas descobertas”, explica o geólogo Carlos Schobbenhaus, um dos idealizadores do Projeto Geoparques do SGB e coautor do estudo que forneceu subsídios para o dossiê de candidatura.

“Uma boa segmento da história da Terreno está representada no Brasil”, completa.

O geoparque Terreno dos Gigantes reúne seis geossítios (Ponte Subida, Caieira, Univerdecidade, Serra da Galga, Santa Rita e Vale Seduzido) e dois sítios não geológicos (Museu dos Dinossauros e Museu da Cal).

No proclamação dos novos parques, a Unesco lembrou que Uberaba é conhecida ainda pelo pioneirismo na introdução e geração do manada zebu, que “revolucionou o mercado agropecuário brasílio”.

Campanha

O conjunto de sítios arqueológicos de Uberaba atrai pesquisas paleontológicas desde 1940. Em 2012, o SBG apresentou o estudo que serviu porquê dossiê de candidatura da região para receber o reconhecimento mundial pela Unesco.

Em 2022, pesquisadores visitaram a unidade para complementar o inventário geológico e, em 2023, foi publicado o Planta do Patrimônio Geológico do Geoparque de Uberaba – Terreno dos Gigantes.

O geólogo Luiz Carlos Borges Ribeiro, da Universidade Federalista do Triângulo Mineiro (UFTM), é outro coautor do levantamento.

Segundo a Secretaria de Cultura e Turismo de Minas Gerais, o reconhecimento “projeta Uberaba e o estado em novidade rota turística, além de gerar mais desenvolvimento econômico, trabalho e renda para a região”.

Outro ponto realçado pela secretaria é que a chancela da Unesco potencializa o fomento a pesquisas científicas em relação ao patrimônio geológico e a valorização do patrimônio cultural e histórico do espaço.

Outros geoparques

Além do Brasil, a decisão da Unesco nesta semana reconheceu geoparques na China, Croácia, Dinamarca, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Polônia, Portugal, Espanha, Bélgica, Reino Uno e Holanda.

Os outros geoparques brasileiros são Seridó, no Rio Grande do Setentrião; Geopark Araripe, no Ceará; e os Caminhos dos Cânions do Sul, Quarta Colônia e Caçapava do Sul, todos no Rio Grande do Sul.

A designação de geoparque global é concedida por um período de quatro anos. Posteriormente esse prazo, as regiões passam por um processo de revalidação, em que são novamente avaliados o funcionamento e a qualidade de cada unidade.

Manancial: Dependência Brasil