Mulher de 31 anos morre por projéctil perdida em Santos

Mulher de 31 anos morre por bala perdida em Santos

Uma mulher de 31 anos foi atingida na cabeça durante troca de tiros em ação policial em Santos, no litoral paulista. Segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública de São Paulo (SSP), na última quarta-feira (27), próximo Rossio José Lamacchia, dois homens em uma moto desobedeceram à ordem de paragem e dispararam contra policiais militares, que revidaram.

A vítima foi levada pela população à unidade de pronto atendimento e mais tarde foi transferida para a Santa Lar da cidade. Edneia Fernandes Silva não resistiu aos ferimentos e morreu na noite de quinta-feira (28).

“Todas as circunstâncias relativas aos fatos são rigorosamente investigadas pelo 5º DP [Distrito Policial] de Santos e pela Polícia Militar, que instaurou um Sindicância Policial Militar (IPM). Exames periciais foram solicitados e, tão logo os laudos sejam concluídos, serão remetidos à poder policial para estudo e explicação do caso”, afirmou a SSP por nota. O órgão informa ainda que a ocorrência não está ligada à Operação Verão.

Lançada na Baixada Santista no final de janeiro, depois o assassínio de policiais na região, a Operação Verão contabiliza 55 mortes, de tratado com a secretaria, e mais de milénio pessoas foram presas, sendo que 429 eram procuradas pela Justiça.

Denúncia de realização

Moradores de Guarujá divulgaram nas redes sociais vídeos em que denunciam que dois homens mortos pela Polícia Militar na Comunidade da Barreira teriam sido executados na segunda-feira (25). De tratado com o relato, os dois homens, um de 22 anos e o outro de 35 estavam lavando um telhado quando foram abordados pelos policiais. Eles teriam sido levados a uma lar abandonada e assassinados.

A SSP afirma que “caso mencionado é rigorosamente investigado pelas polícias Social e Militar, com séquito das respectivas corregedorias, Ministério Público e Poder Judiciário”. De tratado com a pasta, os policiais militares foram recebidos a tiros pela dupla que estava escondida em uma residência. “Houve mediação e eles foram atingidos, morrendo no sítio. Na ação, a polícia apreendeu duas pistolas 9 milímetros que estavam com os suspeitos, além de maconha e balanças de precisão”, acrescenta a nota da secretaria.

70 mortes

De janeiro até o último dia 25 de março, policiais militares em serviço já mataram 70 pessoas nos municípios da Baixada Santista, segundo levantamento do Grupo de Atuação Privativo da Segurança Pública e Controle Extrínseco da Atividade Policial do Ministério Público de São Paulo. Dessas, 62 mortes aconteceram depois do início da Operação Verão, chamada inicialmente de Operação Escudo.

A SSP afirma que a operação tem “o objetivo de sufocar o transgressão organizado na Baixada Santista”. Ainda de tratado com a secretaria, “todos os casos são rigorosamente investigados pela Polícia Social e Militar, com séquito das respectivas corregedorias, Ministério Público e Poder Judiciário”.

Manancial: Escritório Brasil