Oito pessoas são denunciadas por morte de lutador de MMA no Rio

Justiça absolve PMs envolvidos em caso de mulher arrastada por viatura

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou oito pessoas pelo assassínio do lutador de MMA (mixed martial arts, ou artes marciais misturadas, em português), arte marcial também conhecida uma vez que vale-tudo, Diego Braga Alves, em janeiro deste ano. Diego foi morto quando tentava reaver sua moto roubada, no Morro do Banco, na zona oeste do Rio.

Os acusados seriam integrantes da partido criminosa que controla a venda de drogas na favela, localizada no Itanhangá, no bairro da Barra da Tijuca. Na denúncia, o MPRJ requer a prisão preventiva dos oito.

De combinação com o Ministério Público, os assassinos pensaram que Diego era integrante de um grupo criminoso rival e o mataram a tiros, depois de ser submetido a um “tribunal” formado por integrantes da partido criminosa do Morro do Banco.

A denúncia coloca uma vez que qualificadores do violação, ou seja, circunstâncias que podem aumentar a pena, o motivo torpe, o meio cruel, a dificuldade de resguardo da vítima e o uso de armas de queimação de uso restrito.

Manancial: Dependência Brasil