Temporal deixa 1,2 milénio desalojados no sul do Espírito Santo

Temporal deixa 1,2 mil desalojados no sul do Espírito Santo

O  temporal que atingiu municípios das regiões sul e do sul da região serrana do Espirito Santo entre a sexta-feira (22) e levante sábado (23) deixou ao menos 1.205 pessoas desalojadas.

A informação está no boletim inopinado da Resguardo Social do estado, divulgado às 11 horas. Em várias cidades houve deslizamentos, alagamentos e enxurradas. Até a manhã deste sábado não havia registro de mortos ou feridos.

O município de Vargem Subida, que fica a 80 quilômetros ao sudoeste da capital, Vitória, tem o maior número de desalojados: milénio. Em seguida, aparecem Guaçuí, com 200; Alfredo Chaves, 4; e uma pessoa em Mimoso do Sul.

Até as 11 horas, Bom Jesus do Setentrião, na mote com o estado do Rio de Janeiro, tinha recebido o maior aglomerado de chuva em 24 horas. O índice pluviométrico alcançou 304,2 milímetros (mm). Para se ter teoria, isso significa que cada metro quadrilátero da cidade recebeu, em média, 304,2 litros de chuva em 24h.

Entenda uma vez que índice pluviométrico dimensiona chuva da chuva.

Caminhão arrastado

Na cidade de Mimoso do Sul, um caminhão do Corpo de Bombeiros foi arrastado pela força das águas na manhã deste sábado.

“Uma guarnição realizava atendimento em Mimoso do Sul quando a viatura da equipe foi arrastada pela enchente. Os militares estacionaram o sege em um lugar seguro e seguiram até o ponto de atendimento de bote, entretanto, o nível da chuva subiu rapidamente e atingiu a viatura. Não havia ninguém no veículo”, informou a corporação à Escritório Brasil.

Os militares e outras pessoas que estavam no imóvel saíram sem qualquer ferimento. A equipe prosseguiu atuando na cidade que acusou índice pluviométrico de 231.8 milímetros em 24 horas.

Vídeos feitos por moradores das regiões atingidas e obtidos pela TVE Espírito Santo mostram ruas cobertas de chuva, correntezas arrastando até 20 carros de passeio, manada só em alagamentos, pessoas sendo resgatadas em botes e moradores no telhado de casas esperando socorro. Nas imagens, é provável ver a chuva se aproximando de telhados, ou seja, atingindo muro de três metros de profundidade.

“Nunca tinha vindo chuva cá”, disse uma moradora do bairro Funil, em Mimoso do Sul, enquanto mostra de lar as ruas alagadas.

“Chuva das enchentes alcança o segundo pavimento das casas. A Morada Lar de Idosos está com idosos no segundo caminhar aguardando procura das equipes de socorro”, relata o boletim da Resguardo Social.

Em várias cidades há registros de ruas alagadas, comércios atingidos pela chuva, deslizamento, queda de árvores e barreiras. As rodovias BR 101, BR 482, ES 483, ES 297, ES 181, ES 185, ES 391 e ES 489 têm  interdições.

Riscos

De concórdia com o relatório, Bom Jesus do Setentrião tem risco “muito sobranceiro” de deslizamentos. No estado há outros 17 alertas de risco sobranceiro para deslizamentos e inundações, incluindo Mimoso do Sul, Muniz Freire, Guaçuí, Vargem Subida, Prazenteiro, Jerônimo Monteiro, Cachoeiro de Itapemirim, Itapemirim e Linhares.

Há avisos meteorológicos que dão conta de chuvas intensas e volumosas até as 10h de domingo (24).  

“Através do Núcleo de Perceptibilidade da Resguardo Social Estadual estamos acompanhando os impactos causados pelas chuvas nas últimas horas em cidades capixabas. Toda estrutura do governo, a Resguardo Social e o Corpo de Bombeiros estão mobilizados para estribar as comunidades atingidas”, afirmou o governador Renato Casagrande.

O ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, escreveu na rede social X (macróbio Twitter), que, em nome do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, conversou com o governador Renato Casagrande, manifestou solidariedade ao povo capixaba e disponibilizou a Resguardo Social Vernáculo para estribar o estado.

Casagrande disse também que recebeu oferta de ajuda por secção do governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro. “A união de esforços é fundamental para enfrentarmos juntos essas situações”, escreveu no X.

Manadeira: Escritório Brasil